O² Expedição

CicloCrossPost

Veja outros relatos desta mesma expedição:

Dois MegaPixel

Mildo's World

Thiago Syen

Two Way

x2
Saída31/08/2013 06:30hCampo Magro - Centro
Chegada31/08/2013 16:45hCastro - Centro
CustoR$ 12.00Compos+du lulis alexandre christian dyck fabio fabricio gassner gilberto luis2w luiz marcos mildo paulão2w pedro pedro2w peterson syen
Pedalada118.7 km7h 09'16.6 km/h
ItinerárioCampo Magro - PR090 - Bateias - Abapã - RMs - PR340 - Castro

Cerne Vintage

Ah, o Cerne! Mais que uma estrada, o Cerne é o núcleo em torno do qual uma lenda cicloturística cresce ao redor. E para expor o cerne dessa questão, arbóreo leitor, nada melhor do que descascar a história.

A edição inaugural do Cerne, repleta de receio e expectativa, conspirou friamente bem até Castro. Não ganhou publicação aqui, mas ganhou o apelido carinhoso de Cerne Fodax, segundo o outrélio do Cerne II. Aliás, segundo Cerne este que teve menos dramas (e pés), mas patinou bonito (lindamente) em lamaçais até Ponta Grossa. O Cerne III surpreendeu, embora podar Itaperuçu não parecesse levar a lugar algum. O Cerne IV virou o roteiro original do avesso, da mesma forma como fez com os pedalantes. E o Cerne V, lenhoso leitor, é esse que aqui contemplas como um remake saudosista da primeira edição, com direito a cortes e marcas estrategicamente posicionados.

Advertência xilêmica: este texto pode conter traços de trocadilhos botânicos mal formados ao longo do tronco. Castanhas não.

Aproveitando a disponibilidade exclusiva da van, tomamos um atalho inicial e começamos o pedal em Campo Magro. Ostentação? Não. Se há algo que a história do Cerne nos ensinou, foi a respeitá-lo:

- Nunca, nunca subestime um Cerne. (História do Cerne, 2009-2012)

Depois de bons trechos pedalados pelo grupo já pulverizado, não poderia deixar de rolar o durame: alto de serra, fim de fila, furo no pneu do lulis. Recaímos na máxima lusa "pois, pois, odois vem sempre depois". Desgarrados, só alcançamos o grupo em um breve e suado encontro nas bodegas de Abapã (sem qualquer cunho floêmico).

Aproveitamos em ritmo solo o belo novo asfalto e o saudoso atalho por terra de outrora (a foto 28 que o diga). Nos reagrupamos apenas depois (pois, pois), na chegada em Castro, onde fechamos o ciclo. Regressamos cientes de que nada, além da volta (e um pouco do começo), foi em van. Felizes por ter participado em mais este anel do lendário Cerne.

Texto e comentários por du e lulis, fotos por lulis, roteiro por du, tour pela tourminha.

Expedição publicada em 21/05/2015

Arquivo GPX Arquivo KML Mapa Dinâmico
Caro leitor, tenha cautela ao utilizar as georreferências, você é o único responsável pelo uso que faz das informações disponibilizadas pelo odois.org. Saiba mais.
Georreferências

Foto²s

Foto² 1
começo de pedal com raio gourmetizador

Foto² 2
agora sim, começo de pedal - que tourminha!

Foto² 3
não dá pra negar que partiram antes do sol dar as caras

Foto² 4
que cara de sono no cerne, pessoal!

Foto² 5
tá bonito, mas acho que eu preciso de um café

Foto² 6
isso, o pãozinho e mais 20 desses halls café. é, não, não tinha lá na áfrica...

Foto² 7
bando de cicloturistas é ultrapassado por parabólica desgovernada

Foto² 8
parada para o stand-up do didi, porque daqui pra frente sooobe

Foto² 9
pois, não é só querer botar banca que já começa a descer?

Foto² 10
escola mooove de ballet sobre duas rodas

Foto² 11
quanto mais no meio do nada, mais no cerne você está

Foto² 12
o pelotão, ainda unido, cantava cantigas de roda em aramaico

Foto² 13
o cerne desequilibra tanto que até deixar alforge de um só lado ajuda

Foto² 14
essa foto deveria ser vetada pelo comitê regulador de fofura

Foto² 15
esse bar não me é estranho, se posso depor a respeito

Foto² 16
eu trocava uns 3 cicloturistas médios por uma laranja madura a essa altura

Foto² 17
bom, nessa altura aqui parece ainda melhor

Foto² 18
opa, mais um pessoal que tá afim de trocar a laranja aí

Foto² 19
depois de subir muito, só tem uma recompensa a receber...

Foto² 20
um pneu furado! aqui tava remendado já. sem graça.

Foto² 21
nesse ponto odois liderava a cauda da flecha com inegável vantagem

Foto² 22
na sombra da magestosa araucária, um ciclista vê a tôrma longe, no boteco

Foto² 23
quanto tempo você leva pra achar, no meio desse monte de coisa verde, a bicicleta?

Foto² 24
esse cerne está fofurento demais até para os ursinhos carinhosos

Foto² 25
detalhe para a animação da equipe de fundamentos e fundos

Foto² 26
mas o melhor detalhe é o recorte senoidal retificado das encostas

Foto² 27
atalho por terra é o caminho mais fácil ou é o melhor?

Foto² 28
essa tôrminha não me engana, já quebrou eixos por aqui!

Foto² 29
que foi essa cara de "não fuça na minha necessaire!"?

Foto² 30
tranquilidade tem nome. mas não pergunte qual é, temos que alcançar o grupo!

Foto² 31
as araucárias estavam ali como quem quer dizer algo

Foto² 32
e nessas horas as pessoas se abaixam pra ouvir a voz do capim

Foto² 33
mas aí esse povo tá fugindo do cerne da questão

Foto² 34
com ou sem questão, tá bunita essa colorização, bicho!

Foto² 35
cores de fim de tarde são lindas mesmo no meio da tarde

Foto² 36
já as vacas são elas em qualquer hora do dia

Foto² 37
olha a gente chegando pro fim da feira

Foto² 38
na catedral de castro, ah! isso sim, é luz de fim de dia

Foto² 39
recolocando o time nos eixos, agora ninguém se separa em van!

Fabrício Souza
[22/05/2015 08:55h]
Ok, Cerne V devidamente homologado! Só de ler e ver esse trajeto a lembrança do sofrimento do Cerne vem a tona, 2015 não passa em branco!
Paulo Boing
[22/05/2015 09:45h]
Depois de quase dois anos já está na hora do Cerne VI ou já foi e nem sei....
Renato
[22/05/2015 13:23h]
Desse, eu escapei!
Caro leitor, sinta-se livre para comentar sobre esta expedição! Embora o O² não se responsabilize pelo conteúdo dos comentários (vide nossa política de uso), perceba que aqueles julgados inadequados serão enviados ao limbo eterno. Sem volta. Nem pedalando.

o² expedição · cicloturismo | 2003 · 2016 | curitiba · brasil | permitida reprodução desde que citada explicitamente a fonte: odois.org | política de uso | webdesign por lulis

firefox chrome opera ie 8+ CC-BY-4.0