O² Expedição

Observatório do CEP

A 20 km de Curitiba, em Campo Magro, encontra-se instalado o Observatório Astronômico e Planetário do Colégio Estadual do Paraná (OACEP). Inaugurado em 24 de novembro de 1994, o observatório consiste num prédio em forma de tronco de pirâmide, com capacidade para 62 espectadores. Seu planetário conta com uma cúpula de 6m de diâmetro para projeções do céu em qualquer época e local do globo terrestre.

O observatório está assentado no topo de uma colina a 1.062 m de altitude (133 m acima de Curitiba). Além de uma boa observação do firmamento, do observatório é possível avistar Araucária, Campo Largo, Almirante Tamandaré, Curitiba e a Serra do Mar.

Fontes: Colégio Estadual do Paraná - OACEP.

x0
Saída12/08/2012 08:50hCuritiba - Capão da Imbuia
Chegada12/08/2012 13:50hCuritiba - Capão da Imbuia
CustoR$ 7.00Composdu lulis thiago
Pedalada54.9 km3h 49'14.4 km/h
ItinerárioCuritiba - Almirante Tamandaré - Lamenha Pequena - R. Pedro Jorge Kotoviski - RMs - Observatório CEP - Juruqui - Campo Novo - RMs - Rod. Cerne - Curitiba

Observatório CEP

Existiria algo se não houvesse alguém para observar? Quanto do objeto é fruto do observador? Mais que paradigmas filosóficos, caro leitor, são perguntas profundamente existenciais que permeiam até mesmo a física moderna. O azul da camiseta do Du na foto 4 é um para você, prismático leitor, e outro para o Lulis (imagine para o Thi, que é daltônico e estava de costas). Qual é a cor real da camiseta? Existe uma cor real? O exemplo é bobo (o exemplo, o Du não é bobo nem nada), mas dá a ideia. Antes de passar ao próximo parágrafo faça uma pausa, socrático leitor, e pense um pouco a respeito.

Não parou, não é, airtonsênico leitor? Vieste direto pra cá, não foi? Confesse, não tenha vergonha, essa é nossa condição atual. Não há tempo a perder. Na velocidade da luz, na ansiedade das novas, na hiperconectividade onipresente e na instaneidade que começou no nescafé e não tem limites para terminar, não sabemos mais observar o tempo. E assim, como quem quase não tem observador, parece que o tempo quase não existe mais.

Este pode ter sido apenas mais um pedal normal (ou dois). Talvez um ponto alto, uma bela vista de um ponto de vista observatório do universo. Ou só mais uma cruzada por um pastel (ou dois). Mas para a imensa maioria, para a grande massa (ah, a grande massa! de gente mesmo, não de pastel), esse passeio não foi nada, seleto leitor. Sequer vão ficar sabendo (de verdade, não encontrarão o texto, não lerão). Mas para nós (odois), foi mais um grande exercício. Físico, claro, claro, também. Mas principalmente um exercício de observação e auto-observação, como só o universo dos pedais costuma propiciar aos seus adeptos. Foi um grande exercício do Lulis, também, que esteve meio parado e ainda estava sob observação. Mas não importa, isso aqui nem é um texto - é só uma observação. E hoje, fibrótico leitor, quase ninguém tem tempo para observações.

Editor I: Por acaso esse roteiro não tá muito parecido com campo novo?
Editor II: Lulis, sua bichona, não está, não.

Fotos e observações por lulis, programação e roteiro em python por du.

Expedição publicada em 13/09/2013

Arquivo GPX Arquivo KML Mapa Dinâmico
Caro leitor, tenha cautela ao utilizar as georreferências, você é o único responsável pelo uso que faz das informações disponibilizadas pelo odois.org. Saiba mais.
Georreferências

Foto²s

Foto² 1
foto em subida é um clássico garantido pela velocidade segura. e segura mesmo!

Foto² 2
quem encontrar a bandeira do brasil ganha uma cantada (de hino)

Foto² 3
ahn, que preguiça, acho que vou descer e empurrar...

Foto² 4
as sombras mostrando a cara no passeio

Foto² 5
acima? apita? a fita? ai pifa? ai, fofa? oacep?

Foto² 6
o sol tava tão bom que até na sombra tinha sombra

Foto² 7
juruqui chegalá nobservatório

Foto² 8
santa cilada, bátimã, estão tentando camuflar as sombras!

Foto² 9
pela revoada o urubuservatório não tarda aparecer

Foto² 10
subida no sol cansa muito mais, tem que aguentar o peso da sombra

Foto² 11
cada um que carregue a sua. e sua mesmo!

Foto² 12
quando se fala em mostrar os caninos é sobre dentes, não instintos, thi!

Foto² 13
mega panorâmica do morro do observatório com du-du-dubstep no meio

Foto² 14
du, faz sombra pra mim porque deitei em cima da minha!

Foto² 15
olha quem nos observa sorrateiro deeesde a foto 11!

Foto² 16
não gostei de ser observado pelo observatório, não quero mais brincar

Foto² 17
quem encontrar o thiago escondido nessa foto acha ele!

Foto² 18
é, descendo pra baixo vai numa velocidade alta bem rápida

Foto² 19
isso aqui que não vai descer muito bem, laranjinha césio 136

Foto² 20
foto tirada minutos antes do vazamento e corrosão da mesa

Foto² 21
no melhor estilo cerne, no fim é só o pó!

Waldson (Antigão)
[13/09/2013 15:04h]
Pedal maneiro, muito legal. Parabéns!
Elton Xamã
[20/09/2013 19:40h]
hola, beleza de pedal... breve, umas chapas com a presença do O²(adesivado) abraços Elton Xamã Pantanal Sul Matogrossense
o² expedição
[30/11/2013 10:49h]
Valeu! Mas você prometeu e não mandou as provas, assim não cola! =) Hábraços!
Adriano
[21/09/2013 23:59h]
Na foto 11 o Du está na versão oilman ... ou seria waterman!! E outra coisa confessem: vcs estão ficando viciados nas tubaínas. Abraço
o² expedição
[30/11/2013 10:47h]
Não é vício, é necessidade sensorial extrema de verdadeiras e sintomáticas experiências de quase-morte e mutação induzida. Parece que afeta o raciocínio, também. Hábraços!
Caro leitor, sinta-se livre para comentar sobre esta expedição! Embora o O² não se responsabilize pelo conteúdo dos comentários (vide nossa política de uso), perceba que aqueles julgados inadequados serão enviados ao limbo eterno. Sem volta. Nem pedalando.

o² expedição · cicloturismo | 2003 · 2017 | curitiba · brasil | permitida reprodução desde que citada explicitamente a fonte: odois.org | política de uso | webdesign por lulis

firefox chrome opera ie 8+ CC-BY-4.0