dia 7dia 5

O² Expedição

Pinguela do rio Canoas

Localizada em Celso Ramos-SC, a ponte pênsil (popular pinguela) permite a travessia do rio Canoas pouco antes deste desaguar no rio Pelotas e formar o rio Uruguai, seguindo o antigo traçado da SC-458. Com seus 250m de extensão, a longa e estreita ponte suportava (quando bem conservada) veículos de até 2.500 kg transitando em apenas um sentido.

A ponte foi construída em 2001 para substituir a antiga ligação rodoviária inundada pelas obras da usina de Campos Novos (aquela, de ontem). Contudo, com acesso por estrada de terra em más condições, a ponte pênsil caiu em desuso após a construção da nova (e asfaltada) SC-458, cujo traçado passa na crista da barragem.

Fontes: Prefeitura de Campos Novos, MAESA.

Rio Uruguai

O Rio Uruguai nasce na Serra Geral, formado pela junção dos rios Canoas e Pelotas. Seu leito delimita a divisa natural entre os estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina, bem como as fronteiras entre Brasil, Argentina e Uruguai.

No idioma Guarani Uruguai significa "rio dos pássaros pintados", embora hajam outras interpretações para o nome, como "rio dos caramujos", "rio de águas profundas" e "rio das voltas".

Com extensão total de 1770 km e desnível médio de 24 cm/km, o rio Uruguai abriga atualmente quatro hidrelétricas no percurso superior (Itá, Machadinho, Foz do Chapecó, Salto Grande), além das usinas instaladas nos seus afluentes (3 no Canoas, 1 no Pelotas). A agricultura e a navegação também são atividades favorecidas pelo rio, principalmente no seu percurso em terras argentinas e uruguaias.

Fonte: Wikipedia.

Área de Serviço

Camping Casagrande. Roberto (54)3551-1638 (54)8118-1404. Machadinho - RS.

x3
Saída10/10/2011 08:00hCelso Ramos - Centro
Chegada10/10/2011 19:00hMachadinho - Thermas
CustoR$ 20.00Composlulis heil
Pedalada76.8 km5h 29'14.0 km/h
ItinerárioCelso Ramos - SC458 - BR470 - Rio Uruguai - Barracão - RS208 - Machadinho

Erechim · dia 6

Saída tranquila, estradinha de chão, papo no posto com Seu Gilmar, papo no campo com Seu Luis. Percorremos o traçado abandonado da velha SC-458 que, mais que estrada de terra, era agora uma estrada de pedra lavada. Nada crítico, a beleza do caminho encantava e compensava.

Depois de muito descer, atingimos um ponto alto da viagem: a pinguela sobre o rio Canoas. As fotos (e o vídeo) são a melhor expressão da diversão que foi caminhar (pedalar!) sobre as águas ali, num lugar tão inóspito. O abandono da pinguela (e da estrada) ficou óbvio pelo número de veículos que vimos a transitar por ali: duas bicicletas. E eram as nossas.

Passada a diversão na pinguela, a tarefa era recuperar a altitude perdida. Estrada ruim, tempo seco, e em uma das únicas casas na beira da estrada, um prestativo garoto se deu ao trabalho de completar nosso tanque com água gelada. E tanto subir culminou em descer vertiginosamente - agora por um belo asfalto - até uma baita ponte (600m) sobre o rio Uruguai, na divisa entre os estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Nota de conquista: Registra-se aqui a primeira pisada (ou rodada) do o² em território gaúcho. Baita honra, tchê!

Compramos algumas subidas novamente (cruzar rios tem esse revés) e, papo vem no bar, papo vai no mercado, paramos para um merecido refresco em Barracão. Na saída quase perdemos a entrada para Machadinho (quase, hein, Mr.?), mas achamos - e o que achamos foi uma estrada de terra no capricho.

Estrada e paisagens belíssimas, pôr-do-sol no horizonte e, ao seu lado, nasce a lua quase cheia. Um belo cenário para a chegada à-noite-mas-nem-tanto no camping onde pousaríamos (já que as termas, infelizmente, permanecem fechadas à noite). No balanço, Mr. Heil, que vinha furando um pneu por dia, extrapolou e somou três. Último dia na rua, macarrão ao fungui no jantar e sono em barraca pra valer. Amanhã tem mais um pouquinho.

Foto²s

Foto² 148
quem foi que disse que o velhinho não tem bom gosto, hã?

Foto² 149
gilmar sagaz, pedalante da região, já sabia o que nos aguardava adiante

Foto² 150
acerca depedra

Foto² 151
mirando as voltas do rio pelotas (o rio grande é alí, ó!)

Foto² 152
casa abandonada, já pensou que o rio grande do sul do brasil é o uruguai?

Foto² 153
florzinha, o comentário anterior foi tão profundo quanto o rio

Foto² 154
o reconhecimento visual indica que a sc-458 anda meio desligada

Foto² 155
aqui o reconhecimento visual quase não indica formiga

Foto² 156
esse cabelo da capelinha não é estranho

Foto² 157
cada vez mais próximos de muita água, ao que tudo indica

Foto² 158
essa não era exatamente a rodovia, mas não tava muito longe disso

Foto² 159
conservação em baixa, preservação em alta

Foto² 160
quem disse que o podre não pode ser bonito?

Foto² 161
o sr tá falando do odois? aquele cheiro de chiqueiro?

Foto² 162
fim da linha, travessia à vista!

Foto² 163
ela, a tão esperada (e tão pouco usada) pinguela

Foto² 164
quem não usa a pinguela pra travessia tava esnobando por ali

Foto² 165
e o quê?

Foto² 166
quem foi que fez esse furo, hã?

Foto² 167
tudo aparentemente dentro dos conformes, salvo a ponte

Foto² 168
o rio canoas, prasdonde vai

Foto² 169
o rio canoas, dasdonde vem

Foto² 170
e aqui pra dasdonde a gente vai! segure-se quem puder!

Foto² 171
quem fez a pinguela não pregou uma peça, pregou várias!

Foto² 172
pinguela transposta, ainda tinha muita água pra rolar

Foto² 173
bah, e que água fresquinha - na subida, então, ô!

Foto² 174
isso mesmo, uma aguinha abençoada!

Foto² 175
olhando pra trás, o morro dava idéia do desnível até o rio

Foto² 176
isolaram a pobre ovelha verde da família

Foto² 177
a paradinha às margens estava convidativa

Foto² 178
looongos tapetes de trigo verdinho...

Foto² 179
bah, não aponta o dedo que é deselegante, mr!

Foto² 180
bem à vontade, o besourinho repousa ao sabor do vento

Foto² 181
de volta ao asfalto, agora bem perto do grande rio grande

Foto² 182
paisagem singular à bera da estrada, com uma sombrinha gostosa...

Foto² 183
com cheiro de rio grande e gosto de terra!

Foto² 184
o panorama do grande, do gigante rio uruguai! estamos na divisa!

Foto² 185
bah, guri, que já dá pra sentir o cheiro do mate, tchê!

Foto² 186
em terra de gaúcho macho também brotam belas flores

Foto² 187
o destino é realmente engraçado, mesmo à 23 km

Foto² 188
que estradinha mais fofa, gente! agora pedala no fofo, vai...

Foto² 189
o entardecer dava as caras enquanto o sol se escondia entre as árvores...

Foto² 190
as flores estavam inspiradas nesse dia, poses loucas e variadas pra todo lado

Foto² 191
entre os doirados trigais repousa a imponente árvore simbolo do estado!

Foto² 192
mesmo que seja do estado do paraná! porque o estado aqui é outro

Foto² 193
coeficiente de auto-arrasto no último, o estado era deplorável

Foto² 194
não, não o rio grande, deplorável era o nosso estado! mas que trigo bonito

Foto² 195
mais trigo bonito. o estado deplorável era tanto físico quanto mental

Foto² 196
chega o fim do dia e as últimas linhas de luz se desenham no horizonte

Foto² 197
beleza pouca é bobagem, o fim do dia foi um presente

Foto² 198
cansativo, é verdade, mas luminoso até o fim

Foto² 199
ou nem tanto, uma hora a luz cessa... mas a beleza não!

Foto² 200
e quem aparece toda cheia de si (ou quase lá) pra abrilhantar o fim do dia?

Foto² 201
mas vamos indo que tem mais um trecho antes de apear, simbora!

· essa expedição não acabou ·

Terminou a viagem por hoje?
Não deixe amanhã de lado: dia 7

daguvasco
[27/09/2012 08:10h]
Fantastica Viagem... "...cicloturismo, show de bola..."auhsduashdasudhasudhas
Renato
[27/09/2012 08:25h]
Já falei que vocês são meus heróis? Mildo loves Lulis, again.
o² expedição
[27/09/2012 21:38h]
A pexação é mútua: O² loves Pedaleiro loves O² loves Pedaleiro... Mildo loves Mildo always =) Obrigado, Renatão!
Renato
[27/09/2012 08:28h]
Mais um companheiro que quebra corrente. Era Sram?
o² expedição
[27/09/2012 21:42h]
Nada, era(chim)mano hg93. Mr. Heil já é mestre em quebrar correntes, também tira mau olhado e trás de volta a pessoa amada.
Mildão
[27/09/2012 09:42h]
Mildo love Lulis Lulis love Bigodes Heil Renato não love ninguém
Luiz
[27/09/2012 15:38h]
Mr Heil estava firme esperando as lontras, que pelo jeito não apareceram. Belas fotos, as always!
o² expedição
[27/09/2012 21:48h]
Pois é, rolou uma confusão: trombudo é elefante, não lontra. Gracias, altos panos de fundo na memória. Valeu, Luizão!
Lyra
[27/09/2012 16:21h]
Hein? corrente rompida do Mr. Heil? Acho que ele tá forte demais, porque isso se repetiu recentemente (aha... surpresa, surpresa!)
o² expedição
[27/09/2012 21:51h]
As novas só não correm mais rápido do que rompem as correntes do bom velhinho (as novas também)! Hábraços gaudérios, Lyra!
Tadeu Galeno Franzmann
[28/09/2012 10:02h]
Simples e encantador! Que lição de vida, que belo cursinho a gente tem nessa síntese dum trajeto dos ciclistas que vivem a Natureza na sua Plenitude. Obrigado Lulis e Heil, por estar participando dessa história. Deus os acompanhe sempre - Forte abraço - Tadeu
o² expedição
[29/09/2012 17:59h]
Grande Tadeu! Obrigado pelo carinho e por fazer parte disso tudo! Como diria você mesmo: showdebola! Hábraços!!!
Waldson
[30/09/2012 21:57h]
Parabéns. Belíssima ciclovagem, muito bem relatada sempre com aquela pitada de humor característico. Fotos sensacionais! Agora... que foi pedreira, foi, né?! Abraços do Antigão!
o² expedição
[01/10/2012 22:16h]
Pedras pra todos os gostos (embora a maioria fosse salgada, mesmo). Obrigado, Mestre Waldson!
Lucas Fuson
[05/10/2012 23:56h]
Vocês são fonte de inspiração, entro no site toda semana pra ver qual será a minha próxima pedalada, quem sabe um dia faço essa até erechim. Parabéns!
o² expedição
[08/10/2012 10:24h]
Fusioníssimo Lucas! Reversalizando, frisamos: comentários como o seu são fonte de inspiração para que continuemos pedalando e publicando! Oxalá possamos sempre compartilhar bons roteiros como esse (quem foi que fez...)! Obrigado e hábraços (e pernas!)!
Adriano
[07/10/2012 19:59h]
Caramba, já tava pensando que era lenda essa pedalada! Muito massa mesmo Lulis. Lembro que vc comentou da viagem naquela noite chuvosa e enlameada, lembras ... em que te paguei cinco cachorros-quente e três litros de coca ... a propósito, quando vc irá me reembolsar? Abraço.
o² expedição
[08/10/2012 10:16h]
Macaxeiríssimo Adriano, muito obrigado! Somos eternamente gratos por seus comentários e contribuições voluntárias, sejam elas veementes correções, compreensivas audições ou nutritivas porções. Reembolsos proveremos certamente, embora em cotas de pedal =) Hábraços!!!
Patricia Kerche
[11/10/2012 10:34h]
E quando sairá o livro com as melhores jornadas ciclicamente turísticas ou com o melhor do turismo ciclicamente expedido? E, só para tirar a dúvida, no dia 7, lá na venda, vocês só comeram o pão com salame e queijo, certo? A faca foi só pra cortar o pão, né?
o² expedição
[13/10/2012 10:28h]
Salve, salve, Patchê! A idéia do livro vem (e volta) de bike, ciclicamente, então demorará a chegar ao papel (quem dirá àexpedição). Se até no site demora... =) Só comemos pón cón zalame e quêxo, vissinha, mas facada mesmo levamos na hora de pagar a conta (e não era piada)! Hábraços!!!
Caro leitor, sinta-se livre para comentar sobre esta expedição! Embora o O² não se responsabilize pelo conteúdo dos comentários (vide nossa política de uso), perceba que aqueles julgados inadequados serão enviados ao limbo eterno. Sem volta. Nem pedalando.

o² expedição · cicloturismo | 2003 · 2017 | curitiba · brasil | permitida reprodução desde que citada explicitamente a fonte: odois.org | política de uso | webdesign por lulis

firefox chrome opera ie 8+ CC-BY-4.0