dia 2introdução

O² Expedição

Estrada do Açungui

Prima mais nova da famosa Estrada do Cerne (PR090), a Estrada do Açungui interliga Rio Branco do Sul à localidade de Socavão, já no município de Castro. Uma boa estrada de terra para um excelente pedal (motal, jipal, camionetal e tal) com paisagens realmente exóticas - e subida, subida pra caramba!

Na data da publicação, as condições da estrada (ao menos até a Vila Açungui) eram, em geral, boas.

Acesso: Saindo de Rio Branco do Sul (sentido Cerro Azul), passados 15km do trevo de saída da cidade, entrar à esquerda (seguir placas de acesso à Pousada Ribeirão das Flores).

x1
Saída13/02/2010 08:20hCuritiba - Tarumã
Chegada13/02/2010 18:10hRio Branco do Sul - Açungui
CustoR$ 8.00Composdu lulis thiago arce
Pedalada79.4 km4h 57'16.0 km/h
ItinerárioCuritiba - PR092 - Almirante Tamandaré - Rio Branco do Sul - Est. do Açungui - RMs - Vila São Vicente - Açungui

Açungui e Ribeira · dia 1

O primeiro dia prometia ser, de longe, o mais tranqüilo (ou melhor, o menos complicado). Sabíamos que as subidas não predominariam (iríamos dos 900m de altitude curitibana aos 400m de Açungui), mas as poucas que enfrentamos na estrada foram suficientes para lacear as tiras (o certo não seria PR092 ou BR092, mas sim MR092 - de montanha russa, mesmo!).

Logo na saída, compensando os últimos séculos de pontualidade (desde a idade média do o²), o thiago se atrasou e atrasou nossa partida em 45 minutos (do primeiro tempo). Saídos, curtimos o primeiro trecho até Rio Branco do Sul escaldando-se-me-nos. Agora, difícil mesmo foi a escalada técnica do centro da cidade ao cume da Rodóvia (algo como +200m de altitude). Para compensar o absurdo altimétrico, curtimos uma "leve" descida (de ciclista pegar 79km/h, frouxo!) em que, reza lenda, até a barraca sentiu medo!

A paisagem da região é bastante atípica (embora a comunidade local deva achar bem típica). Definido pelo lulis como "várias caixas gigantes de ovo abertas", o cenário era algo parecido com uma linha de montagem de morros, lado a lado, prontos para assustar ciclistas. E assim se vai o relevo, destacando-se ainda mais no percurso da estrada do Açungui. Em dado momento o du, impressionado, quedou-se da bicicleta ainda preso à sua recém-antiga-provisória pedaleira...

O sol estava apertando quando resolvemos parar sob a guarda (e a boa sombra) da Igreja de São Vicente. Vendinha à vista, é hora de arranjar algo para amenizar o calor (nem que seja uma boa risada):

lulis: Tarde! Vi a placa ali atrás, o Sr. tem geladinho aí?
sr. na janela: Tarde. Tem. É quinhentos.
lulis: ...Humn?!
sr. na janela: Tem. É quinhentos cruzêro. ...Ah, não, mudô a moeda, é trinta centavo agora.
lulis: ...Ah, é, agora mudou... Me veja seis então...

Muitas risadas e geladinhos depois (tinha gosto de infância, voltamos pegar mais alguns), seguimos quilômetros abaixo até a Vila do Açungui. Paramos na primeira venda para tomar mais um refrigerante (muitos outros já haviam sido tomados!) e prosear. O pessoal sugeriu conhecer as prainhas do Rio Açungui e depois procurar pouso na escola local. Parte do povo partiu para um aniversário, passou o ônibus e levou a outra parte, o refrigerante acabou, os cachorros se foram e nem eram 18h ainda. Então vá lá: vamos às prainhas!

Logo no começo do trajeto encontramos dois garotos da região que resolveram nos acompanhar de bicicleta. A enchente recente (pouco mais de uma semana antes) deixou a água do rio barrenta, a vegetação destruída nas margens e as pontes em estado precário. Bonito foi notar o espírito batalhador e humilde das pessoas do interior: já não lamentavam o caos, e ainda contavam os causos com bravura e um quê de orgulho de tê-lo visto e sobrevivido. Não um, mas sim vários exemplos, vários heróis.

Voltando, seguimos para a escola em busca de pouso. Ali conhecemos uma das maiores "figuras" de nossas viagens: Zezinho, vigia da Escola Estadual José Elias (e futuro vereador, vê-se logo). Fez alguns contatos para autorizar nossa permanência e assegurar-se de que não haveria problema. Por fim, acantonamos no pátio da escola graças a ele, que tornou-se grande parceiro de conversas e risadas. Tanto que ficou combinado: um dia a gente volta lá para comer uma galinha caipira na Chácara do Zezinho! Ê, nóis!

Foto²s

Foto² 1
vem cá, vamos começar logo com esse troço? sobe!

Foto² 2
começando pelo arce, viajando de alvará concedido

Foto² 3
seguindo com o thi, ainda acordando do atraso

Foto² 4
o du, com seu bronzeado há-flor-de-cem-dentes

Foto² 5
e o lulis parecendo um escorregador de cimento

Foto² 6
tudo em equilíbrio (salvo meia araucária no chão)

Foto² 7
parece que o pessoal está ensaiando algum hino por aí

Foto² 8
ah, sim! como era mesmo a música da priscila, rainha do deserto?

Foto² 9
flagra! que absurdo! olha lá! descaso! álcool acima de R$2!

Foto² 10
você não achou incrível o sistema de transporte coletivo cigano?

Foto² 11
é, eles transportam mais carga do que nós, incluindo ciganos

Foto² 12
pois é, esse tipo de abuso é uma pena!

Foto² 13
ah, não é uma pena não! é ele, ô ô ô mr. heil!!!

Foto² 14
trecho sinuoso nos próximos [inserir a extensão da rodovia aqui] km

Foto² 15
na falta de um bar, vamos esvaziando o cantil em qualquer canto

Foto² 16
ô, ô, ô ô, ô arce. tú conhece o bérril háiti?

Foto² 17
ô, ô, ô ô, ô thi. e tú, conhece o bérril háiti?

Foto² 18
bela paisagem com nuvens em formato de bigode do mr. heil

Foto² 19
aqui já dá pra sentir como é o relevo tipo caixa gigante de ovo

Foto² 20
vamos subindo logo com isso que eu não tenho o dia todo!

Foto² 21
a paisagem é linda, mas o mirante é um lixo

Foto² 22
gente, vocês estão subindo desde duas fotos atrás?

Foto² 23
garçon! manda mais uma caramanhola de água de posto!

Foto² 24
tudo tão enrugado que aqui deve ser o pé-de-galinha do olho do mundo

Foto² 25
abaixa, arce, olha a antena! ufa, foi por um fio!

Foto² 26
o menino da porteira, teste com o primeiro ator

Foto² 27
bigode do mr. heil, teste com a segunda nuvem

Foto² 28
vamos falar sério agora: daqui pra frente a coisa é barra!

Foto² 29
bem vindo à estrada do açungui (que, mesmo sendo pra baixo, sobe)

Foto² 30
bah, pelas listras eu diria que essa é a estrada do tigre (ou dá zebra?)

Foto² 31
pela sombra você vê que o arce é, na verdade, uma libélula

Foto² 32
vocês estão levando muito a sério essa estória de carnaval no meio do mato

Foto² 33
pausa para lanchinho no bar (pormaisque pareça um cocho)

Foto² 34
ah, são vicente, foi uma benção essa sombrinha

Foto² 35
árvores nada naturais, até a sombra precisa de retoque no photoshop

Foto² 36
ah, refrescando-se-me-gê-lo? quinhentos cruzêro!

Foto² 37
hora da soneca, du, pode tirar o óculos agora

Foto² 38
arce, sonhando o quê com esse sorriso? e esse capacete?

Foto² 39
o thi já dormia longe, desligado no melhor estilo selton melo

Foto² 40
o menino da porteira, teste com o segundo ator

Foto² 41
ok, chega de teste no alto do morro. desce daí, menino

Foto² 42
thi tri combustível: painel solar, álcool e água (nessa ordem)

Foto² 43
calma gente, pedalem e pensem que sempre poderia ser pior

Foto² 44
não falei? olha aí, trânsito de carnaval deixa qualquer um louco

Foto² 45
ah, sim, decida: caixas de ovo ou não?

Foto² 46
a vaca e a libélula (isso não rende uma minissérie da globo?)

Foto² 47
os morros continuam enrugados, mas pentearam os bigodes do mr. nuvem

Foto² 48
uma cara de praia nessa estrada (só que sem o mar)

Foto² 49
na lomba: você consegue ver o cicloturista? ó, vaca não vale

Foto² 50
estradinha bonita que dá gosto de parar, né, arce?

Foto² 51
saca só o panorama da curva, com double du dublado

Foto² 52
um legítimo cotovelo 180 half slide back pack under wear

Foto² 53
a curiosa engenharia da ponte em rampa da vila de açungui

Foto² 54
o açungui, farto, com barro até a boca

Foto² 55
em pensar que isso era um tipo de prainha...

Foto² 56
o rio passou um bom tanto acima da ponte e levou a segurança embora

Foto² 57
olha os nossos guias aí! agora a volta é por nossa conta!

Foto² 58
o zezinho! agora tenta adivinhar qual o cicloturista que ainda não estava lavado!

Foto² 59
o macarrão do chef du foi aprovado até não aguentar mais

Foto² 60
o pátio da escola, à noite: nenhum mosquito e paz de férias

· essa expedição não acabou ·

Terminou a viagem por hoje?
Não deixe amanhã de lado: dia 2

Rodrigo Stulzer
[18/02/2010 08:47h]
Muito legal, e pertinho de Curitiba. Gostei!
Heil
[18/02/2010 09:36h]
Gostei dos moros e mais moros.Considerações:1-legal ver o quarteto reunido novamente.2-Com câmera nova,foto do Lulis só qdo.ele dorme no sofá.3-Vcs.precisam se controlar.Esta vida de bar em bar é perigosa.4-O Dú esqueceu a fantasia(muito pesada?),mas as plumas nem pensar!!!
o² expedição
[20/02/2010 17:45h]
Vamos lá: 1) é; 2) é; 3) idem ao 2; 4) é, e mais: é o sr. mesmo! Mr. Heil fez falta, mas a gente dissimulou e o simulou! =)
Vina
[18/02/2010 11:04h]
Passei mtos por essas bandas..., por vezes mais de uma vez por dia. De bike parece ser mais interessante!! Show piazada!
o² expedição
[20/02/2010 17:42h]
De bike sempre o é, caríssimo conselheiroo! Citamos suas passagens por lá, durante a nossa =)
Alcione
[18/02/2010 11:10h]
O minino! Q q é isso? "Paramos no primeiro bar" E não me chamaram? Minino muleke, me pega de jeito!
marlon netto
[18/02/2010 15:01h]
Fantástico (sem o zeca camargo). Parabéns
Tio kiko
[18/02/2010 21:23h]
Comentario??? Sem comentarios. Que carnaval maravilhoso. PARABENS.
o² expedição
[20/02/2010 17:48h]
Ah, um comentário que diz sem comentários mereceria ser comentado sem comentá-lo... Valeu, Seu Kiko!!! Vale?
Paty
[20/02/2010 22:50h]
e quem disse que só tem poeira no vale do ribeira? lá só falta ladeira! Eeee rimou! que doidera!
Renato
[01/03/2010 09:40h]
Quero ver o filme. Ainda em edição? Belo carnaval este de vocês!
o² expedição
[01/03/2010 10:20h]
Ops. Qual filme? Se for o do carnaval, dessa vez não fizemos vídeo...! Se for "a maior produção de 2010", está parado no conselho de ética!
Rogério Leite
[08/03/2010 19:08h]
hehehe... carnaval ciclo-etílico tb foi minha opção anti-galista[fugindo do Galo da Madrugada]! A rota de vcs parecia arrastada pelas águas enquanto vcs se arrastavam por outras "águas"... aventura legal! Preciso desenrrolar algo assim quando a temperatura daqui permitir!
o² expedição
[09/03/2010 12:54h]
Quase isso.... Sabe qual foi a "água" mais "etílica" que rolou? Leite, foi Gasosa! =)
Rogério Leite
[09/03/2010 13:05h]
hehheihhihiiheheheh... E eu que só tomo chá verde, água mineral e muito raramente, um guaraná! Mas confesso que pensei que de n-1bar a n-bar a trilha era mais que ciclogasosica! :)) eheheheheh...
Nelson
[25/03/2010 14:35h]
Fotos fantásticas... Um dia meto a minha bicicleta no avião e vou aí fazer uns trilhos com vocês. :) Um abraço lusitano.
o² expedição
[15/04/2010 21:04h]
Ó gajo: considere-se convidado e devidamente hospedado, o pá!
Caro leitor, sinta-se livre para comentar sobre esta expedição! Embora o O² não se responsabilize pelo conteúdo dos comentários (vide nossa política de uso), perceba que aqueles julgados inadequados serão enviados ao limbo eterno. Sem volta. Nem pedalando.

o² expedição · cicloturismo | 2003 · 2017 | curitiba · brasil | permitida reprodução desde que citada explicitamente a fonte: odois.org | política de uso | webdesign por lulis

firefox chrome opera ie 8+ CC-BY-4.0