dia 5dia 3

O² Expedição

Área de Serviço

Camping Oásis. (47)3366-3028 . R. Malásia esq. com Av. do Estado (altura nº 2800) - Baln. Camboriú - SC.

Gás O² Tronômico

Pequeno compêndio dos hábitos alimentares típicos do homo cicloturísticus.

1. Jantar estilo festa havaiana, sopão de terreiro e siri satírico;

2. Macarrão de pote, de pedágio e de saco;

3. Lanches estilo uniforme frutinha, morangos roubados e exclusão social;

4. Especiarias como pinhão sapeca e cachorro-quente molhado;

5. Aniversários com diminuto defumado e panetone coreografado;

6. Paradas estilo refri de beijinho, outras porcarias...

(²) E gostava, ah gostava!

x1
Saída07/01/2010 08:25hBombinhas - Praia de Bombas
Chegada07/01/2010 20:40hCamboriú - Balneário
CustoR$ 41.00Compos+du lulis heil
Pedalada78.4 km5h 23'14.6 km/h
ItinerárioBombinhas - RMs - Mariscal - Morrinhos - Zimbros - Porto Belo - SC412 - RMs - Sertão do Trombudo - Itapema - Morro do Areal - Rod. Interpraias - Estaleiro - Taquaras - Laranjeiras - Baln. Camboriú

Costa Verde e Mar · dia 4

O o² já comeu de um tudo nessa vida expedicionária. Podemos dizer que não temos qualquer preconceito quanto à cor, idade, textura, consistência ou família dos alimentos que ingerimos. Com exceção do du, que diz não pedalar com as pessoas que pedalam com ele (ainda que existam divergências sobre esta máxima), todos os cicloturistas aceitam tudo de bom grado por aqui. Já provamos de quase tudo, e ainda podemos provar (e provar com fotos, ora veja (veja mesmo: no outrélio aqui ao lado))!

Apesar do nosso indigesto histórico, nunca houve registro de overflow ciclo-alimentício. Nunca, até a manhã deste dia. O du acordou combalido (ou macambúzio, como diria o outro) e foi brincar de chafariz com o diafragma logo cedo. Sem vontade de tomar café ou de cantar uma bela canção, saímos sabendo que era dia de transpor muitos dos morros matadores do circuito. Recém passada a primeira subida, de Bombas à Bombinhas, o du não tomou algo para ver se melhorava e, pombas, outra bombada!

Nota gástrica: Acaso conheces, bílico leitor, o efeito da combinação de gatorade com sal de fruta? Praticamente o mesmo da mistura de mentos com coca-cola. Não tente fazer isso na sua casa (e nem no seu estômago).

O alívio só veio com uma consultoria farmaco-homeo-esteto-somática: chá de boldo concentrado (praticamente uma cápsula de energético de guaraná, só quem sem o guaraná). Uma hora parados, aguardando reações. Efeitos com laterais (e com, com componentes): enquanto o du começava a melhorar, o lulis começava a ficar proporcionalmente pior. Suspeitas recaem sobre a água do suco da noite anterior que, procurada pela equipe, preferiu não se pronunciar (embora tenha saído da boca pra fora).

Animados assim, encaramos o roteiro mais difícil e tenebroso do circuito. Cinco das cinco subidas planilhadas eram indicadas em vermelho, que naquela condição mental e física nos soou como "ó, mas que lindo dia para caminhar!". E assim foi, mais tempo empurrando a bicicleta do que pedalando...

Mas como nem tudo são floras (como diria o intestino), ao menos um consolo: passada a metade do dia pudemos contar com a disposição e o apoio do bom velhinho. Mr. Raio reavivou sua máquina austral pedalalálica antes mesmo de precisar recorrer a outros meios e, nas cercanias de Itapema, juntou-se (ah, o espírito join vilense!) ao comboio dos sem-apetite.

Tocamos rasgando (e se rasgando) pelos morros, com destino à interpraias - a estrada que revolucionaria e substituiria para sempre a expressão legal "é oito ou oitenta" (bem legal, por sinal):

Lei do "é 30 ou 30": Promulgada na Constituição Ciclística da Interpraias, discorre sobre o tempo necessário para transpor subidas e descidas na referida. Reza que são necessários cerca de 30 minutos para transpor os trechos de subida embora, em contrapartida, o percurso das descidas deva atingir, em média, 30 segundos.
Lei do "é 3 ou 70": Discorre sobre as mesmas condições, embora refira-se às velocidades médias (km/h).

Passado o apuro (leia-se interpraias), a tarefa era chegar a um camping em Balneário Camboriú (embora muitos, a exemplo de Bombas, já tivessem transcendido). Depois de mais 8 km, 1 pneu furado, alguns desencontros e muita chuva, chegamos ao único camping remanecente no município. Mr. Heil acomodou-se em casa de família (a sua) enquanto ficamos negociando. Turca daqui, turca de lá e (truco!), trocamos o acampamento por uma noite no dormitório do camping (perfeito para os dois, quebrados e molhados).

Para encerrar o dia, uma recompensa: um jantar com a graciosa família da Grace (dona da caixinha), incluindo ninguém menos que o advogado do O² (o velho mais engraçado do Brasil!), dignos de nota por aqui. Alimentamo-nos bem, principalmente à alma: muitas histórias e boas risadas (muitas risadas - e gostava, gostava!). Anotamos duas promessas: uma de retribuir a visita (mesmo que a gente não acredite que eles venham de bike) e outra de documentar em vídeo (gravava!) o depoimento do nosso sapiente (leia-se também hilário) guru, legítimo acadêmico do recém instituído Conselhoo.

Carona e, enfim, cama: fim de um dia muito, mas muito cansativo (tão cansativo, mas tão cansativo, que até você, pestanejante leitor, deve ter cansado de ler!).

Foto²s

Foto² 145
o gatinho, pela manhã, depois dos afazeres na caixinha de areia

Foto² 146
já não tão animado, em fase de recuperação pós-overdósica

Foto² 147
um subida que deu um mariscaldo nos ciclistas

Foto² 148
essa subida, nessa condição, foi de vomitar as tripas

Foto² 149
depois de tanto subir uma bela vista... tudo tem seu preço

Foto² 150
falando em preço, não parece que é por aqui que vamos pousar...

Foto² 151
não é fácil ter acesso à praia naquele canto grande, momento raro

Foto² 152
ainda se jogando pelos cantos, du? maré de azar?

Foto² 153
azar nada - fora a chuva que vem por aí, tudo ótemo

Foto² 154
que cara é essa, tá revoltado? por inteiro ou só o estômago?

Foto² 155
essa mangueirinha super higienizada deve ter colaborado no estrago

Foto² 156
um, dois, três, quatro, zimbro subidas de lascar, só que numa só

Foto² 157
pausa pra respirar... sabia que o pessoal jura que é mais rápido por aqui?

Foto² 158
ao que me parece, a famosa zimbros está aos nossos pés

Foto² 159
a bike do lulis sempre teve uma quedinha pela do du

Foto² 160
du na ameixa versus lulis no bolo, assim é injusto

Foto² 161
olimpíadas do faustão: pula rolos ou piscina de lama?

Foto² 162
quem diria: itapema sob outro ângulo, o do mar verde

Foto² 163
o pássaro bêbado e equilibrista

Foto² 164
siga a seta. ah, subida? capaz! tão raras por aqui!

Foto² 165
mais uma das cerca de 300 empresas (e 1 rodovia) do Mr. Heil

Foto² 166
o ângulo da foto não representou a pesada inclinação. dói lembrar

Foto² 167
itapema aos nossos pés, a bola de praia da vez

Foto² 168
pelo tipo das subidas estes são os famosos campos de altitude

Foto² 169
humn... depois de cozinhar no sol, olha só quem está no ponto!

Foto² 170
o du em uma demonstração acroprática de circoturismo

Foto² 171
pelo tipo da subida o negócio é fazer malabarismo, mesmo

Foto² 172
interpraias é assim: é 3 km/h ou 70 km/h

Foto² 173
o famoso vento sur descabelando o palhaço do coqueiro

Foto² 174
a famosa praia famosa de nudismo famoso do famoso sul do mundo

Foto² 175
o negócio é rachar a taquara na descida!

Foto² 176
o que não falta aqui é praia bonita, mesmo com tempo feio

Foto² 177
sobe pedalando, câmera! não é íngreme, não...

Foto² 178
mr. heil anuncia: não há mais muita serrrrrra à vista!

Foto² 179
essa última subida foi de trincar os ovos, percebeu?

Foto² 180
não pode mesmo embarcar cicloturista no tele-esférico?

Foto² 181
chegando lá, lá... lá onde o sol brilha forte! mas só até as 15h!

Foto² 182
mais uma exaustravessia e, voilá: bien venidos a Camboriú beach!

Foto² 183
ah, família athaíde: não há comentário à altura da (en)graça da noite! obrigado!

· essa expedição não acabou ·

Terminou a viagem por hoje?
Não deixe amanhã de lado: dia 5

Luiz
[07/02/2010 17:49h]
Parabéns moçada!! Relato divertido e estimulante como sempre. Os videos estão ficando profissa!
Paty
[08/02/2010 10:55h]
Valeu esperar pela publicação! E que publicação cheia de graça! Acho que sobre a água "batizada" cabe aquela famosa frase "aquilo que não me destrói me fortalece"... só que sem o destrói e o fortalece! Bjos
o² expedição
[09/02/2010 10:59h]
Só que com o destrói!
danielghiraldi
[08/02/2010 11:21h]
Excelente relato... O melhor de tudo sao os comentarios das fotos, ri alto em algumas, o povo do escritorio aqui acha que sou louco, nada!!!! rs Continuem assim. Aquele
Fabrício Souza
[08/02/2010 14:39h]
Começo a achar que estômago cicloturista não é tão forte assim. Evitar agua de valeta e salgados de rodoviária já um grande avanço :) http://bit.ly/cahQ0G
Antônio Carlos Heil
[08/02/2010 21:26h]
Rapazes:obrigado pela qtidade. de raios que espalharam na publicação.Prometo que na próxima viagem(como sempre só participo daquelas de arrancar as tiras),não vou abandoná-los em nenhum momento,pois as crianças acabam comendo/bebendo besteiras.
o² expedição
[09/02/2010 11:01h]
Vossa excelência está nos chamando de irresponsáveis? Vossa excelência é um difamador, ainda que esteja correto!
Rodrigo Stulzer
[09/02/2010 09:40h]
Muito legal o vídeo. Poderíamos criar uma produtora independente! :-)
Renato
[09/02/2010 10:56h]
Cara, filmaram em technicolor? Que qualidade! Aceitam filmar festinha de aniversário? Abraços, Renato
o² expedição
[09/02/2010 11:03h]
Aceitamos sim, mas temos uma condição: só pode ser aniversário de bicicleta, e com expedição!
Carlos Beppler
[10/02/2010 09:52h]
Cada pedaço desse circuito pedalado pelos amigos está bem marcado em nosso coração. Pedalado foi muitas vezes para sinalizar e agora o prazer de um lugar para compartilhar. Parabéns pela motivante reportagem e esperamos ser parceiros de pedal em breve nessa e em outras rotas.
Eldon Jung
[10/02/2010 10:37h]
Para mim também foi muito gratificante ler a experiência de quem está "usando" o circuito que ajudamos montar. Gostei do apelido de Vale 2. Realmente, a idéia é a de continuar com a interligação cicloviária de todo o Grande Vale Europeu. Obrigado.
o² expedição
[10/02/2010 18:43h]
Eldon e Carlos, idealizadores e porque não, obreiros do Circuito! É um prazer contar com vossas considerações em nosso humilde e interiorano sítio. Quando sair uma ponte-não-aérea entre os dois circuitos, estaremos lá para filmar e fotografar novamente!
Conrado Azevedo
[11/02/2010 11:24h]
Parabéns pessoal do o2, pedal fantástico!
Christian Lyra
[13/02/2010 22:11h]
Muito bom pessoal! Mas eu tenho um pedido: dá para colocar legenda no video? O seu ébrio e o catarinês são dificeis de entender! :-)
o² expedição
[16/02/2010 15:32h]
Estamos com uma equipe de 10 filólogos e mais 10 peritos genéricos tentando resolver a questão, em breve (você quis dizer "talvez nunca") teremos a solução.
andrea
[16/02/2010 21:13h]
Queria comentar, mais como não coube, fica pra uma outra oportunidade!!!!
Rogério Leite
[19/02/2010 12:37h]
222 fotos! E eu vi todas! Pedalada incrível, exceto porque vcs ralaram tanto ver o mar mas não entraram nele, ou esqueceram de fotografar-se-los! Ih tb uma enorme variedade de camisetas do Odois, muito mais que aludjinia tem!!! Gostei de uma verde escura! Quando vai pro mercado?
o² expedição
[20/02/2010 17:35h]
Ah, entramos mesmo foi pelo cano! (passar mal não é bom, por definição). As camisetas verde-escuro são as melhore para pedal - se tivermos uns 10 pedidos podemos fazer sob encomenda (edição especialíssima).
Fabrício Souza
[22/02/2010 19:02h]
Então vamos começar a encomendar :)
Carlos Beppler
[18/03/2010 10:57h]
A ponte "não aérea" entre o Costa Verde e Mar e o Vale Europeu está pronta sem licitação. Vejam em: http://bit.ly/9eadP8
Caro leitor, sinta-se livre para comentar sobre esta expedição! Embora o O² não se responsabilize pelo conteúdo dos comentários (vide nossa política de uso), perceba que aqueles julgados inadequados serão enviados ao limbo eterno. Sem volta. Nem pedalando.

o² expedição · cicloturismo | 2003 · 2017 | curitiba · brasil | permitida reprodução desde que citada explicitamente a fonte: odois.org | política de uso | webdesign por lulis

firefox chrome opera ie 8+ CC-BY-4.0