O² Expedição

x0
Saída18/04/2009 07:40hCuritiba - Jardim das Américas
Chegada18/04/2009 12:20hCuritiba - Tarumã
CustoR$ 4.00Compos+du lulis arce biscaia gert wesley
Pedalada59.0 km3h 30'16.9 km/h
ItinerárioCuritiba - BR277 - São José dos Pinhais - Bacias do Iguaçu - Av. João Leopoldo Jacomel - Trilha - Piraquara - Est. Dom Pedro II - Quatro Barras - Est. Alfaville - Curitiba

Bacias do Iguaçu

Um passeio temático: fomos visitar a fábrica de bacias do Sr. Iguaçú. É, bacias. Aquelas plásticas mesmo, de escolher caqui na feira, de deixar o pé da vó em banho maria, de colocar meia encardida de molho. Tá achando que é brincadeira, é? É? Então tá. Então tá certo. Tá certo mesmo: não é bacia de plástico, não. E nem de alumínio. É bacia das hidrográficas mesmo (é, aquelas do mesmo material das canetas hidrográficas).

Agora, saindo um pouco da bacia (mas sem jogar água fora), voltemos ao assunto passeio. O leitor observador certamente percebeu a peculiar estatística de participantes do passeio: 50% são componentes do O², 50% são convidados e o restante não participou. É, isso mesmo. Fizemos oficialmente um evento convidando convidados. A idéia (bem incipiente, ainda) é criar um passeio aberto, trimestral, por hora batizado “opendal”, em que convidamos pessoas que entram em contato conosco convidando-se-me-nos (ou auto convidando-se-me-lhes) para pedalar.

A primeira edição foi um, um... um deu errado. O Gert e o Biscaia já eram de casa e, portanto, nem estavam incluídos na idéia do opendal. O único representante dos convidados verdadeiramente opendálicos foi o grande Wesley (salvou o evento, hein, Wes?). Tudo bem que era meio véspera de feriado, mas ainda assim esperávamos mais quórum... ...e continuamos esperando que na próxima convocação de “fãs” a tôrminha apareça.

Nota de fã not-so-fun: Vem cá, chega aqui. Vocês estão com todo esse papinho furado de opendal, de bacia, de roupa no molho, de não-sei-mais-o-quê e, pelo que estou vendo na fotos, esse passeio está me parecendo outra outra vez o tal do Bordas do Alfaville. Expliquem isso aí, bando de enrolão! Ei, quem é você? Que é isso? Socorro, socorro, estou sendo agredidooarghpf, asrghspfff... ...fff...

E, antes que algum leitor desavisado se manifeste, este não é mais um passeio pelas bordas do Allfaville em Quatro Barras (pormaisque pareça). As tais Bacias do Iguaçu são vistas claramente (ainda que bem escuras) lá do alto (tivemos que subir no GoEth para ver). A estradinha de terra que as contorna também, e por isso surgiu este passeio tranquilo na região, juntando mais algumas trilhas em Quatro Barras e adjacências.

A primeira das trilhas complementares , velha conhecida, é a “Trilha da Floresta Estadual Metropolitana”, também chamada “Trilha Metropolitana da Floresta Estadual”, conhecida em inglês por “International States Organization of Deliberation about Trails”. Começa no contorno leste e, apesar de relativamente curta, possui vários ramais (o ramal da portaria está sempre ocupado) que levam ao mesmo lugar: o portão de saída (ou entrada, depende de como você vê as coisas), já nas proximidades do centro de Piraquara. Por ali mesmo caímos numa cilada (pré-meditada) em que todos tiveram que atravessar um rio com dois troncos.

Nota troncuda: Não, não é o rio - e nem o ciclista - que tem dois troncos. E nem é um desafio daqueles que você tem dois troncos, dois ciclistas, uma alface e uma cabra e tem que atravessar o rio, mas só pode levar um por vez em cada tronco e não pode deixar eles sozinhos na outra margem, senão um come o outro. São apenas troncos. Madeira, pau, tora mesmo. Tipo uma ponte, só que sem a ponte. Mas no fim foi tranquilo: ninguém caiu nessa, todo mundo passou bem.

Piraquareando até Quatro Barras, já próximo ao centro destra última (as canhotas primeiro), existem algumas outras trilhas legais que fomos conhecer. Ou re-conhecer, porque um dia a gente já passou por ali (só não sabemos quando).

Nossa língua em destaque: vale lembrar a célebre frase do nosso colega Biscaia, suando tanto que escorregou no português - "Cara, eu sôo demais!" - e a célere resposta do Lulis, escorregando tanto que satirizou na audição - "Pois é, Biscaia, você é demais mesmo. É o máximo!" =)

Havia chão para mais pedal (sempre há), tínhamos até planejado alcançar a Velha Graciosa (a estrada, nada de sacanagem!), mas decidimos aliviar a carga para não exigir muito do Wesley. Parece que ele descobriu que o banco da sua caloi não era tão carinhoso quanto imaginava... E nós descobrimos que temos que repensar nossas definições de "pedal leve" quando o assunto for opendal. Assim, após uma parada para alguns salgados no centro de Quatro Barras, respiramos fundo (cada um com seu próprio nariz) e voltamos pedalando pela estrada do Alfaville (cada um com suas próprias dores). E no fim, apesar do ensaio, a idéia do opendal continua em aberto...

Texto por Du, coments por Lulis, atuação opendal por Wesley, Noise Reducer Nose Device por Biscaia.

Expedição publicada em 17/07/2009

Arquivo GPX Arquivo KML Mapa Dinâmico
Caro leitor, tenha cautela ao utilizar as georreferências, você é o único responsável pelo uso que faz das informações disponibilizadas pelo odois.org. Saiba mais.
Georreferências

Foto²s

Foto² 1
essa é a primeira foto, conforme o próprio nome diz

Foto² 2
aqui a gente curte uma pista estreita, mas o pessoal lá adiante prefere a estrada

Foto² 3
pra ver que o dia estava lindo, e que estávamos mesmo no meio do mato

Foto² 4
cuidado, entroncamento à direita e hidrovia à esquerda

Foto² 5
olha que beleza de dia o pessoal que se fechou pro opendal perdeu

Foto² 6
já falei que o dia estava lindo? e esse pano da bacia?

Foto² 7
tinha que acertar o foco nos ciclistas, e não nos pêlos da perna! pelos menos!

Foto² 8
como diz o mildão, tudo incentiva a pedalada: muuuuuuuuve!

Foto² 9
as casas bahia realmente vão até você, seja como for!

Foto² 10
quaaaase na trave!

Foto² 11
biscaia e wesley no meio de campo, digo, no meio da estrada

Foto² 12
travessia do presídio, sobre um lindo túnel de fuga a céu aberto

Foto² 13
é por aqui a trilha, sim, podem acreditar, querem que eu mostre?

Foto² 14
aqui, ó, é a mesma árvore da foto 3 do redondo, sabe?

Foto² 15
cuidado, entroncamentos à frente e hidrovia à, à, ah, abaixo!

Foto² 16
só no sapatinho, pessoal, não caiam nessa!

Foto² 17
olha o gert aí: pontezinha de mérrd@!

Foto² 18
estradinhando pra 4 barras

Foto² 19
ainda estradinhando, só que agora na foto 19

Foto² 20
tá vendo aquele pico enorme no fundo? é o pp. sério.

Foto² 21
a turmada escorregando nas últimas trilhadas do passeio

Foto² 22
centro de 4 barras: e agora, paramos para comer um salgado?

Foto² 23
esse é o wesley, mais assado do que salgado essa altura

Foto² 24
mais um retorno pelo alfaville, só que sem as bordas

Caro leitor, sinta-se livre para comentar sobre esta expedição! Embora o O² não se responsabilize pelo conteúdo dos comentários (vide nossa política de uso), perceba que aqueles julgados inadequados serão enviados ao limbo eterno. Sem volta. Nem pedalando.

o² expedição · cicloturismo | 2003 · 2017 | curitiba · brasil | permitida reprodução desde que citada explicitamente a fonte: odois.org | política de uso | webdesign por lulis

firefox chrome opera ie 8+ CC-BY-4.0