O² Expedição

Comportamento Cíclico Temporal

Diversos estudos realizados em comunidades cicloturísticas comprovam a predominância exclusiva de dois padrões de comportamento intuitivo dos seus indivíduos frente a possibilidade de excursões sob condições climáticas adversas:

a. Se há matéria líquida precipitando-se do firmamento¹ não se observa movimentação cíclica em direção ao meio exterior. Prováveis causas: bom senso; preguiça; aversão a enxarcar o corpo (seja ele o corpo da bicicleta, do próprio indivíduo ou dos demais indivíduos envolvidos).

b. Se o clima se encontra desfavorável (conhecido popularmente por “tempo ruim”) mas não há sinal tátil ou visual de precipitação, os indivíduos desenvolvem atividades cíclicas externas. Prováveis causas: falta de noção; disposição excessiva; convicção² (mesmo que infundada) de iminente melhora das condições climáticas (popularmente conhecido por “pode até cair um temporal agora [cabruuumm!!!], mas quando eu saí de casa estava seco!”).

(¹) Força de expressão, pois se estivesse realmente firme não se precipitaria.

(²) Não confundir com convecção, um outro movimento cíclico.

CicloCrossPost

Veja outros relatos desta mesma expedição:

Cicloturista Urbano

x2
Saída04/10/2008 08:30hCuritiba - Jardim das Américas
Chegada04/10/2008 15:50hCuritiba - Capão da Imbuia
CustoR$ 5.00Compos+du lulis thiago cristóvão daniel gert leandro
Pedalada79.0 km4h 28'17.7 km/h
ItinerárioCuritiba - BR277 - Piraquara - RMs - São José dos Pinhais - Caminho Trentino - Colônia Santa Maria - RMs - Caminho do Vinho - Curitiba

Caminho Trentino

Dando sequência aos passeios no estilo “o o² é parceiro!” (vide colônia d. pedro, ainda sem duplo sentido), realizamos mais uma passeio sob a tutela do ciclonavegador Tagliari, o popular Talharini.

Pela manhã a expectativa climática já não era das melhores, mas obedecendo o tradicional Comportamento Cíclico Temporal nós seguimos com o passeio seguindo o Talharini (conseguiu acompanhar? nós conseguimos, mas não muito perto).

Se não conhece o famigerado Comportamento Cíclico Temporal, caro leitor, não se acanhe: leia o Outrélio. Leia lá, vá, eu espero você ler para continuar a história.

No primeiro trecho o Firefox nos guiou pelas entranhas de Piraquara, passando pelo “Caminho Trentino”. O centro da localidade é a pequena Colônia Imperial de Santa Maria, lugarejo em que até saiu um pequeno downhill ensaboado. Boa parte deste caminho já era conhecido pelo O², acidentalmente (literalmente).

Não-mais-muito foi feito por ali, de onde já seguimos para São José dos Pinhais - o objetivo do dia era comer o famoso “espetinho de tilápia”, tão comentado pelos colegas do nosso navegador Capelleti.

Alguns quilômetros à frente inicia-se uma garoa. A garoa foi adensando, espessando, engrossando e [cabruuummm!!!] logo estávamos sob uma marquise no meio da região rural, aguardando passar o temporal. O temporal não passava, mas o tempo sim. O tempo passava e a chuva ficava cada vez mais... mais, barulhenta! Como rege a suprema psicologia do comportamenteo cíclico (ainda não leste o Outrélio, meu caro? nem oeste?), não dá para reclamar: não saímos de casa com chuva. Tempo ruim no caminho é só acaso (e era o caso).

O clima até estabilizou depois - ficou estável, caindo um mundo de água. Os quilômetros seguintes foram de muita chuva, com direito a reparo de pneu molhadinho e tudo.

Ao chegarmos no pesque-pague que serve o espetinho (espetinho é humildade, parece uma baleia atravessada em um arpão) fomos convidados a nos dirigir ao “canto dos sujos” (não, não é um coral rural ou outra colocação marinha, é apenas um local resevado para... “sujos”). Tudo bem, acabamos pingando muito barro por lá pra compensar a indelicadesa (ou não) do proprietário.

Chegamos em casa depois de muito frio (coisa de quem é cicloturista roxo mesmo), muita água e muitas estradinhas (incluindo vários desvios desviados por desvios secundários, terciários e de outras eras geológicas - algo que, notaríamos, é característico do Vasco da Gama (o nosso navegador, não o time)).

texto por Dú, retexto e fotos por Lulis. Roteiro elaborado e conduzido por Leandro.

Expedição publicada em 05/06/2009

Arquivo GPX Arquivo KML Mapa Dinâmico
Caro leitor, tenha cautela ao utilizar as georreferências, você é o único responsável pelo uso que faz das informações disponibilizadas pelo odois.org. Saiba mais.
Georreferências

Foto²s

Foto² 1
com esforço você vê que o pessoal já estava reunido lááá depois de passar ela

Foto² 2
pit-stop e, dada a posição da bike, vê-se que o tortelli voltou pra nos alcançar

Foto² 3
pingo aqui, pingo acolá... ah, não vai chover não, vamos em frente

Foto² 4
leitura labial: se chover tilápia é peixe, então nós podemos molhar o espeto

Foto² 5
tá bom, desculpa, eu não sou muito bom de leitura labial

Foto² 6
se bem que aqui tá fácil: esses caras tão armando pra cima da gente...

Foto² 7
armando um temporal! então, pessoal, vamos tirar no par ou ímpar pra ver se chove!

Foto² 8
ok: perdemos. chuva e chuva.

Foto² 9
e sem mais fotos porque a câmera (a digital) não é à prova dágua...

Leandro
[05/12/2009 22:23h]
Ah, mas mesmo tendo que ir pro canto dos "sujosss" o espetinho valeu a pena depois de toda chuvarada :-)
Caro leitor, sinta-se livre para comentar sobre esta expedição! Embora o O² não se responsabilize pelo conteúdo dos comentários (vide nossa política de uso), perceba que aqueles julgados inadequados serão enviados ao limbo eterno. Sem volta. Nem pedalando.

o² expedição · cicloturismo | 2003 · 2017 | curitiba · brasil | permitida reprodução desde que citada explicitamente a fonte: odois.org | política de uso | webdesign por lulis

firefox chrome opera ie 8+ CC-BY-4.0