dia 6dia 4

O² Expedição

Área de Serviço:

Península Palmeiras. Mário (47)9907-9989. Palmeiras - SC.

x0
Saída23/07/2008 10:00hDr. Pedrinho - Cachoeira Véu de Noiva
Chegada23/07/2008 17:15hPalmeiras - Península Palmeiras
CustoR$ 22.00Composdu lulis thiago arce
Pedalada73.0 km5h 44'12.7 km/h
ItinerárioCachoeira Véu da Noiva - RMs - Alto Cedro - RMs - Palmeiras

Vale Europeu · dia 5

Amanhece e o quinto dia já começa a apresentar suas reações... para manter o grupo psicologicamente funcionando é necessário fazer um questionário de verificação: 1) Que dia é hoje? 2) Qual dia da semana? 3) Quantos dias de viagem temos? 4) De qual cidade viemos ontem? 5) Qual o seu nome? 6) Para onde estamos indo? 7) Quando esta viagem vai ser publicada no site? 8) Esse é o jogo das perguntas?

Nota de indignação: Hei! Captei uma indireta nessa pergunta 7! Fica frio que a gente tá trabalhando pra isso!

Ainda pela manhã (isso porque o nosso coeficiente de atraso de saída é alto) terminamos de desmontar o camping. Seguimos então em busca da Cachoeira do Véu da Noiva propriamente dita. Consta que a cachoeira é acessada por uma trilha aos fundos do Camping, não muito distante. Encontramos a cachoeira, tiramos algumas fotos e saímos felizes por tê-la encontrado - só mais tarde, terminada a viagem, descobrimos que esta era apenas uma irmã menor da verdadeira Véu de Noiva... Tudo bem, um dia a gente volta lá. Partimos com aquela famigerada sensação de que estamos no meio de nada, longe de casa - mas com a impressão de que aquelas estradas eram extraídas, uma a uma, de belos postais europeus.

Seguimos sentido Alto Cedro, pois ainda haviam 80km e muitas subidas por percorrer... Diz a lenda que no roteiro oficial do dia 5 não se encontra nem alma penada na estrada - e por um bom tempo andamos e andamos (ops, andamos não, pedalamos!) sem cruzar com carros ou pessoas. Eis que então avistamos outros seres, da família dos biciclípedes, realizando movimento migratório em grupo. Aproximamo-nos com cuidado e descobrimos tratar-se, na verdade, de seres amistosos da família Heil (guarde esse nome, caro leitor - mas guarde bem, porque essa é uma reserva para outras expedições...). Dividimos a estrada com eles margeando belas paisagens, represas e florestas - ora eles, ora nós na dianteira. Ainda bem, porque senão a única coisa animada que encontraríamos durante todo o trajeto seriam caminhões carregados de madeira (levam pau, esses).

Negativa ovinobálica: A ausência de seres só não foi mais verdadeira porque ainda presenciamos uma cena rara nas altas altitudes de Alto Cedro, em meio à neblina ensurdecedora (não era bem essa a expressão - mas, enfim, ela também obstruía um outro sentido (duplo, esse)). Já combalidos, deparamo-nos com balidos muito próximos e tivemos que parar para praticamente não assistir a travessia de um rebanho de ovinos - imagine você, caro leitor, a nossa não-percepção dos cordiais cordeirinhos dada sua brancalvura em meio à densa neblina... (dentro do grupo há aqueles que juram que não viram nada disso).

Ao chegar em Palmeiras havíamos concluído dois dias do circuito original em apenas um (os dois são o cinco (não confunda com o zinco) e o seis, se é que você conta comigo, caro leitor). Procuramos um local para dormir, com aquele bom papo de cicloturista low-cost, e conseguimos com os gentis locais uma casa para dormir... literalmente. A casa que pertence ao Clube de Campo da Malwee estava sendo preparada para ser demolida na próxima semana - e serviu de um ótimo e bastante-mas-não-muito seguro abrigo em uma noite de chuva e trovoadas. Ainda tivemos tempo de jantar no restaurante local e assistir, aliviados, a chegada (sob névoa e garoa noturna) dos últimos valentes integrantes da família Heil.

Foto²s

Foto² 132
para não andarem dizendo por aí que o o² só dorme em hotel e pousada

Foto² 133
esse é o tripé do dú!

Foto² 134
vocês não acham que essa cachoeira é muito pequena para ser o véu da noiva?

Foto² 135
pode até ser, mas o veú da noiva que eu conheço fica em dr. Ipiranga, e não em dr. pedrinho

Foto² 136
falando em dr. pedrinho, quantas lembranças deixamos lá, hein?

Foto² 137
e não adianta se esconder atrás do matinho, não!

Foto² 138
arce diz: olha! pessoalmente falando eu achei essa foto d+ XD

Foto² 139
ssssh! não faz barulho que é pra não acordar o pessoal

Foto² 140
solta as tiras, menino!

Foto² 141
tapes off! destino: alto cedro!

Foto² 142
já reparou no paralelismo dos ciclistas? e na não linearidade do trajeto?

Foto² 143
vamos meninos! pedalem! quem chegar por ultimo ri melhor!

Foto² 144
o encontro! heil´s family and odois family.

Foto² 145
agora veja o odois da foto 143 na ótica da família heil

Foto² 146
petalanto o picicrêtínia!

Foto² 147
tóin tóin tóin! óia nóis aqui de novo!

Foto² 148
iá iá ia! petalando petalando!!

Foto² 149
agora tâmo chegando no riacho! digo, passando do riacho

Foto² 150
digo, estávamos indo pra depois voltar pro riacho

Foto² 151
de cabeça fresca!

Foto² 152
já lanchados, agora podemos ir!

Foto² 153
foi miragem ou a gente realmente cruzou com outras pessoas de bicicleta um tempo atrás?

Foto² 154
não sei... da onde a gente ta vindo hj?

Foto² 155
estradinias escolhidas a dedo pelo pessoal do vale das águas

Foto² 156
vocês viram alguma setinha amarela neste cruzamento?

Foto² 157
cansei, acho que vou parar e deixar um dr. presente por aqui!

Foto² 158
o tempo não tá muito pra pêxe!

Foto² 159
lá estão os meninos de 4 pinheiros!

Foto² 160
nossa, parece que o dú ficou um pouco menor durante a viagem!

Foto² 161
façam pose!

Foto² 162
fiel escudeiro! foi mais longe do que a mãe dele deixaria ir

Foto² 163
reserve um pouco de energia! faremos o 5º e o 6º dia em 1

Foto² 164
aqui estamos no meio do 5º dia de viagem e iniciando o 6º dia do roteiro

Foto² 165
cuidado com os bi-trens! a exploração de madeira é tão intensa quanto a turística

Foto² 166
não muito intensa está a nossa pedalada!

Foto² 167
chuva passageira. ainda bem que há “sempre” lugar para se abrigar a cada 60km

Foto² 168
odois deixando a sua marca por onde passa

Foto² 169
foto após a pequena parada para tirar leite da vaca

Foto² 170
parece que o tempo de exposição da árvore foi muito grande

Foto² 171
ufa! ainda bem que acabaram as subidas de hoje

Foto² 172
qual das setas é para seguir? pode ser as amarelinhas? por favor!

Foto² 173
anão! ainda há mais subidas, ufff...

Foto² 174
tantas subidas que tivemos que engatar o modo bi-trem. uiee!

Foto² 175
lulis na posição pi-sobre-dois para esta foto. e as ovelhas, viram?

Foto² 176
vejam! é uma ilha! (resgate de piada florianopolitana, verifique a validade)

Foto² 177
dizem as más línguas que o thiago dormiu implacavelmente nesta noite!

Foto² 178
grande abraço à sra. que nos serviu (e serviu, e serviu) no restaurante palmeiras

Foto² 179
agradecemos a preferência!

Foto² 180
é como serviço público: tem que suar muito pra lá e pra cá até conseguir um carimbo

· essa expedição não acabou ·

Terminou a viagem por hoje?
Não deixe amanhã de lado: dia 6

Mauricio Sievers
[30/07/2010 16:10h]
Moleza essa pedalada amigos. Voces não são de nada. ...uns molengas mesmooooooo kkk abrAÇÃO
Alberto H. Molinari
[17/10/2012 16:10h]
Maaaaaassa demais! Não deem bola para o invejoso acima (huá huá). A sub-hospedagem que vocês buscaram é por que o circuito não oferece o que preste, por falta de grana ou uma vontade de demonstrar que é possível se divertir com poucos recursos?
o² expedição
[17/10/2012 21:47h]
Fala, Alberto! O circuito oferece todo tipo de acomodação, pra todos os gostos. Mas a nossa intenção sempre é essa: divertir-se-mo-nos com pouco! E se procurar bem no site vai ver nessa viagem só rolou acomodação de luxo =D Hábraços!
Alberto H. Molinari
[19/10/2012 18:33h]
Desatrelar as práticas esportivas do consumismo - perfeito! Então aproveito para perguntar: vocês buscam minimizar custos também nas bicicletas? Neste sentido, sugiro uma pergunta para o FAQ: "QUE BICICLETAS E EQUIPAMENTOS VOCÊS UTILIZAM?". Isso ajudaria a nós iniciantes.
o² expedição
[21/10/2012 11:13h]
Monástico Alberto, o equipamento é algo muito pessoal para generalizarmos mesmo entre nós componentes, mas procuramos um equilíbrio que permita um mínimo de segurança, saúde e conforto - sem exageros. Obrigado pela sugestão para o FAQ, estamos considerando com cuidado, pois não queremos induzir ninguém nem favorecer fabricantes (afinal, ninguém nos paga pra isso). E, acima tudo, queremos passar a idéia de que pedalar é possível com qualquer equipamento e um pouco de bom senso (ou não)! Grande hábraço!!!
Caro leitor, sinta-se livre para comentar sobre esta expedição! Embora o O² não se responsabilize pelo conteúdo dos comentários (vide nossa política de uso), perceba que aqueles julgados inadequados serão enviados ao limbo eterno. Sem volta. Nem pedalando.

o² expedição · cicloturismo | 2003 · 2016 | curitiba · brasil | permitida reprodução desde que citada explicitamente a fonte: odois.org | política de uso | webdesign por lulis

firefox chrome opera ie 8+ CC-BY-4.0