dia 2introdução

O² Expedição

Área de Serviço:

Ampla, com muito espaço e proteção contra chuva.

Localidade Universal Omnigeoposicional de Piên

Embora questionada e polemizada pelos incrédulos e dissidentes, toma-se historicamente como fragmento da essência humana a crença coletiva em algo que não se pode ver ou compreender, mas que em contrapartida, paradoxalmente, está em absolutamente todo lugar. Algo de que se ouve falar, que se busca, crê-se estar próximo, mas nunca se chega a atingir. Se fosse um lugar, seria um lugar universal, um lugar que está em todo lugar, em todas as direções, omnigeoposicional. Seria Piên.

Rezam as tradições ciclortourdoxas que para todo destino que se vai, Piên está por perto. E tudo no seu caminho indica que isso seja uma verdade. E você crê, verdadeiramente, que Piên existe. Mas você nunca foi a Piên. Você nunca pedalou em Piên. Piên está em todo lugar, mas você não vê. Você não conhece ninguém que nasceu em Piên - e nem sabe como se chama quem nasce em Piên. Mas Piên existe. É uma questão de fé. Se Deus é brasileiro, ele nasceu em Piên.

x1
Saída19/07/2008 08:30hCuritiba - Tarumã
Chegada19/07/2008 21:00hCorupá - Casa de amigos
CustoR$ 0.00Composdu lulis thiago arce
Pedalada144.0 km8h 34'16.8 km/h
ItinerárioCuritiba - BR116 - PR419 - Agudos do Sul - PR281 - PR420 - Fragosos - SC301 - São Bento do Sul - BR480 - Corupá

Vale Europeu · dia 1

Início de viagem tem que ser assim: animado, cheio de alegria, e com uma quilometragem lazarenta... É. Tem que ser assim (nós somos conservadores neste ponto). Segundo a programação, teríamos que fazer exatamente o primeiro dia da viagem de Corupá. Afinal, se foi possível uma vez, porque não outra?

Fortes emoções nos aguardavam, principalmente para o Lulis (por enquanto, unte o assunto e reserve). Um pouco antes da chegada em Agudos do Sul, uma exótica fila de veículos nos chamou muita atenção. Veículos desligados, gente sentada batendo papo no acostamento... Boa coisa não havia de ser. E não deu outra. Alguns quilômetros à frente, alguns pneus queimados e algum alvoroço da população que fazia uma manifestação contra a violência local.

Cena 1: diálogo (ou multiálogo) na manifestação
- Ciclistas Pacíficos: Olá, pessoal, poxa, a gente já ta pedalando desde cedo, mais de 70 km, temos que chegar em Corupá ainda hoje, por favor, entendemos o movimento, realmente é complicado isso de trânsito, mas a nossa situação é um pouco mais delicada, e vocês sabem, a gente também é vítima, gente inofensiva...
- Manifestantes Homens: Tá certo, orra, vieram desde Curitiba, capaz!, podem passar sim, claro, tudo bem.
- Manifestantes Mulheres: De jeito nenhum, o picote é para todos, não vão passar não, se não passa moto, não passa bicicleta! Bem capaz! Nada disso!

Ah, queridas mulheres! Nós amamos vocês, tentem ser mais compreensivas conosco! =) Depois de alguma discussão conseguimos seguir e fazer uma parada calorosa (quente pra caramba!) em Agudos do Sul.

Horas depois, na localidade universal omnigeoposicional de Piên, o Lulis começou a demonstrar uma fadiga do além (além do normal). Em uma revolta ciclo-gastro-turística ele sofre uma intervenção nem-tão-adequada para a ocasião, fato que nos faz ficar parados por algum tempo até que o pobre restabelecesse sua integridade intestinal (porque a integridade moral já tinha se ido cueca abaixo). A consequente fraqueza do rapaz causou uma perda de rendimento do grupo e, justo por isso, ainda nos encontrávamos em São Bento do Sul quando a noite chegou. Tínhamos só mais uma serra inteira para atravessar (serra de catarina, que sobe muito antes de descer e desce muito antes de subir) - e no escuro.

Faróis acessos (pense o que quiser), prontos para iniciar o desafio e - e na saída de São Bento o cabo de marcha do Arce se rompe (parabéns! vocês estão desprovidos de equipamentos de substituição, parados na beira da estrada, à noite, em uma cidade desconhecida). A única solução foi escolher uma marcha só e seguir. Horas depois (depois de muita serra na base da lanterinha e do aimeudeus), fomos acolhidos na casa de amigos em Corupá, indo pra caminha bem mais tarde do que o previsto. Chá, lulis. Vê se melhora.

Foto²s

Foto² 1
é. como diriam os esquilinhos higiênicos: lá vamos nozes!

Foto² 2
média de velocidade na RMC: 1 pç de roupa tirada/km

Foto² 3
só faltou um banner luminoso piscando: odois.org

Foto² 4
exemplo do fenômeno de espalhamento (não da luz na atmosfera, mas sim dos ciclistas)

Foto² 5
raras fotos agora revelam a participação do Lulis à frente das câmeras

Foto² 6
raras e passageiras, tão passageiras que se fosse um ônibus dirigíamo-lo-iamos

Foto² 7
dú, a gente vai passar por piên?

Foto² 8
o primeiro dia é uma alegria: Thiago puxando o pelotão para o tour de SC

Foto² 9
será que não esqueci a janela do quarto aberta? fechei o gás? tranquei a porta da lavanderia?...

Foto² 10
pô, eu esqueci! esqueci... esqueci... o que ia falar mesmo?

Foto² 11
odois frases: a felicidade é ter uma bike e a memória fraca.

Foto² 12
humm... isso ai não ta cheirando churrasco de beira de estrada, não

Foto² 13
visionários do partido de esquerda promovem manisfestação em viagem a SC

Foto² 14
estréia de sapatilhas é assim mesmo: vc compra pensando quando vai tirá-las do pé

Foto² 15
se vc chegou até aqui, volte e leia o outrélio. se já leu, leia de novo para entender melhor

Foto² 16
lulis!! tudo bem aí atrás?

Foto² 17
aimeudeus, tá na cara que tô passando mal... isso ainda vai dar cagada

Foto² 18
cagada feita, agora é hora de seguir até fragosos. e são bento do sul. e corupá. ufa!

Foto² 19
fragosos. se vc leu o outrélio sabe que este local é próximo a piên. acredite!!

Foto² 20
são bento do sul é uma bela apresentação da qualidade de vida nas cidades de SC

Foto² 21
calma Arce, sem desespero: subir a serra e descer com três marchas, de noite e sem acostamento, não deve ser tão ruim

Foto² 22
havia uma luz no fundo da serra! pois é, chegamos com as pupilas cansadas.

· essa expedição não acabou ·

Terminou a viagem por hoje?
Não deixe amanhã de lado: dia 2

Mauricio Sievers
[30/07/2010 16:10h]
Moleza essa pedalada amigos. Voces não são de nada. ...uns molengas mesmooooooo kkk abrAÇÃO
Alberto H. Molinari
[17/10/2012 16:10h]
Maaaaaassa demais! Não deem bola para o invejoso acima (huá huá). A sub-hospedagem que vocês buscaram é por que o circuito não oferece o que preste, por falta de grana ou uma vontade de demonstrar que é possível se divertir com poucos recursos?
o² expedição
[17/10/2012 21:47h]
Fala, Alberto! O circuito oferece todo tipo de acomodação, pra todos os gostos. Mas a nossa intenção sempre é essa: divertir-se-mo-nos com pouco! E se procurar bem no site vai ver nessa viagem só rolou acomodação de luxo =D Hábraços!
Alberto H. Molinari
[19/10/2012 18:33h]
Desatrelar as práticas esportivas do consumismo - perfeito! Então aproveito para perguntar: vocês buscam minimizar custos também nas bicicletas? Neste sentido, sugiro uma pergunta para o FAQ: "QUE BICICLETAS E EQUIPAMENTOS VOCÊS UTILIZAM?". Isso ajudaria a nós iniciantes.
o² expedição
[21/10/2012 11:13h]
Monástico Alberto, o equipamento é algo muito pessoal para generalizarmos mesmo entre nós componentes, mas procuramos um equilíbrio que permita um mínimo de segurança, saúde e conforto - sem exageros. Obrigado pela sugestão para o FAQ, estamos considerando com cuidado, pois não queremos induzir ninguém nem favorecer fabricantes (afinal, ninguém nos paga pra isso). E, acima tudo, queremos passar a idéia de que pedalar é possível com qualquer equipamento e um pouco de bom senso (ou não)! Grande hábraço!!!
Caro leitor, sinta-se livre para comentar sobre esta expedição! Embora o O² não se responsabilize pelo conteúdo dos comentários (vide nossa política de uso), perceba que aqueles julgados inadequados serão enviados ao limbo eterno. Sem volta. Nem pedalando.

o² expedição · cicloturismo | 2003 · 2017 | curitiba · brasil | permitida reprodução desde que citada explicitamente a fonte: odois.org | política de uso | webdesign por lulis

firefox chrome opera ie 8+ CC-BY-4.0