expedições

O² Expedição

O Recanto dos Papagaios

O Recanto Monteiro Tourinho, mais conhecido por Recanto dos Papagaios, foi construído e inaugurado em 1969. Está instalado em uma área de aproximadamente 15.000 m², às margens da Rodovia BR 277, na divisa entre os municípios de Palmeira e Balsa Nova. Possui área arborizada e gramada, com churrasqueiras, quiosques, bar, vestiários e sanitários. Conta com play-ground e piscina natural, esta represada pelas águas do rio dos Papagaios, local adequado para banhos.

Fonte: wikimapia.

x0
Saída30/03/2008 07:45hCuritiba - Tarumã
Chegada30/03/2008 17:20hCuritiba - Tarumã
CustoR$ 0.50Composdu lulis thiago arce
Pedalada127.7 km6h 57'18.4 km/h
ItinerárioCuritiba - BR277 - Balsa Nova - S. Luis do Purunã - Recanto dos Papagaios - RMs - Trilha - BR277 - Curitiba

Recanto dos Papagaios

Desrespeitando mais uma vez a A Lenda dos Paraquéns, thiago optou por comemorar o seu aniversário pedalando. Na realidade a comemoração é realizada com os participantes parados mesmo, mas a data em que ele computa o número de dias divisíveis por 365 sem resto e nem número quebrado é celebrada com uma volta de bicicleta.

Nesta comemoração o destino do odois foi, finalmente, o Recanto dos Papagaios - este que, por sinal, também renderia uma lenda. Isso é dito em função dos diversos gráficos e índices incompreensíveis fornecidos pelo nosso servidor (ele é público, mas trabalha direitinho), pois a expressão “recanto dos papagaios” é uma das mais referidas nas buscas das que apontam para o nosso site. Por isso mesmo já era hora de fazer um publicação exclusiva sobre uma das praias de centro de estado mais cogitadas do Paraná.

Nesta ocasião o arce nos acompanhava de speed (não teria passado pela vistoria, se houvesse uma). Pela perspectiva de clima e de barro, abandonou-nos na altura do pedágio. Fomos ligeiramente desprezados por um cachorro vira-latas nesse momento (veja o videoodois ao lado, cachorrada!).

Para sorte nossa e azar do Arce, na chegada ao recanto o tempo melhorou um pouco (parou de chover) e o local estava bem deserto. Nos finais de semana costuma ser impossível passar por ali, é quase uma Matinhos de 1º de janeiro.

O que nem todos veranistas dali sabem é que um pouco mais a frente do recanto existem trilhas e outras piscinas naturais muito boas e menos agitadas. Seguimos, obviamente, de bicicleta. Percorrendo rapidamente, e depois não-tão-rapidamente chegamos a uma queda d'água que foi o espaço decidido para “a festa”.

Nota de atualização velácea: No aniversário anterior do thiago nós pecamos pela falta de um piro-artefato, o que fez com que o dú tivesse que fazer a simulação de uma vela, conforme: descida do cristo. Desta vez tivemos uma idéia muito melhor, usar uma caixa inteira de fósforos. Foi ÓTIMO, depois que o thiago apagou as velas, o suposto “bolo” ficou com gosto de pólvora, bem como tudo (e comemos mesmo) que estava por perto.

Curiosamente, perto de nós, um grupo de formigas estava trabalhando (ao menos elas né?), carregando uns postes (comparação mediana) por cima de uma laje. Estes pequenos seres (O² e 4migas) serviram para que perdêssemos mais uma meia hora testando as várias possibilidades de mudar a logística do trabalho delas (como por exemplo, criando a “montanha avassaladora” onde elas patinavam bastante antes de atravessar) Se você não viu o vídeo, digo, documentário animal ao lado, agora é uma boa hora.

Volta pelo mesmo caminho, nem pensar. Sem passar pelo recanto, subímos para rodovia por outra trilha e ainda encontramos uma marca geodésica dando sopa. Não, ela não trabalha em nenhum programa social da prefeitura de noite, era apenas um pedaço de metal que indica alguma coisa com certeza importante no melhor estilo nós-ainda-não-sabemos-bem-do-que-se-trata.

O retorno contou com muito, mas muito vento contra. Tanto vento, mas tanto vento que chegamos a comentar: quem mandou perturbar o caminho das formigas? Agora deve ter um batalhão de batalhões de formigas no pedágio soprando contra nós! (nesta hora entra Deus e dá uma risadinha sarcástica: na mesma moeda, aqui se faz e se paga...). Tiras ao vento!

texto por Dú, alguns anos por Thiago, revisão por Lulis (do texto, não da bicicleta).

Expedição publicada em 27/03/2009

Vídeo²

Arquivo GPX Arquivo KML Mapa Dinâmico
Caro leitor, tenha cautela ao utilizar as georreferências, você é o único responsável pelo uso que faz das informações disponibilizadas pelo odois.org. Saiba mais.
Georreferências

Foto²s

Foto² 1
o arce participou dessa cruzada, mesmo que só pela metade...

Foto² 2
o clima prometia muito: prometia piorar!

Foto² 3
opa, despedida do arce e com todo background do thiago

Foto² 4
agora sim, rumo aos papagaios, o thi mostra o caminho após a PRF

Foto² 5
mosta o caminho errado! cuidado, é mais pra esquerda! agora sim...

Foto² 6
esse é o du pra trás, curtindo a descida em forma

Foto² 7
esse é o thi pra frente, curtindo a descida da mesma forma: pedalando.

Foto² 8
esse é o du e um pedaço do lulis - e da câmera, que quis fazer uma pontinha.

Foto² 9
quem adivinhar quem é esse aniversariante ganha um presente. o resto é passado

Foto² 10
formações pontagróssicas sob um céu que prometia muito...

Foto² 11
o thiago realmete adora vias alternativas...

Foto² 12
o rio do recanto do rio dos papagaios do monteiro e do tourinho

Foto² 13
a ponte assusta, mas o riozinho continua seu caminho bem sossegado

Foto² 14
o seus tralha, digo, seus trilha, me espera!

Foto² 15
aqui é área de entender e assumir que não estávamos bem em uma ciclovia

Foto² 16
a natureza realmente se espelha na natureza

Foto² 17
não chega a ser uma cachoeira, mas é um bom lugar para parar e... e parar mesmo

Foto² 18
não falei que não era uma ciclovia? bem vindo à hidróvia!

Foto² 19
vai como dá, gente, que o caminho por aqui é meio descaminhado mesmo

Foto² 20
ahhh (suspiro). quer um? não vai se lambuzar, menino!

Foto² 21
estávamos em busca da cachoeira perdida que avistávamos (ou quase)

Foto² 22
eis que eis o salão de festas!

Foto² 23
com direito a estacionamento estiloso com motivos naturais, naturalmente

Foto² 24
aêêê, um animado parabens para o menino thiago!

Foto² 25
mas é praticamente a vela, de tão branco, não?

Foto² 26
quedas sobre quedas num dos afluentes dos papagaios

Foto² 27
estas são formigas, animais pouco fluentes no papagaiês

Foto² 28
mais formigas, isso parece-me que renderia um documentário: animai-vos!

Foto² 29
calma, gente, volta aqui, a piada nem foi tão fraca assim.

Foto² 30
eu to falando sério! tá, vou tentar melhorar a pŕoxima

Foto² 31
conhece aquela do papagaios?

Foto² 32
o papagaio chegou na última foto e acabou sem moral na história

Juliano
[10/02/2010 00:48h]
Pessoal por incrivel que pareça o vira-lata que vocês encontraram no passeio acredito ser meu vira-lata sumido a quase dois anos, vocês tem a data certa do passeio ao recanto dos papagaios?? Pois esse vira-lata era do tipo membro da família, se puderem me responder! Muito Grato.
o² expedição
[10/02/2010 01:04h]
Olá, a foto 3 foi tirada nos momentos seguintes a filmagem. Segundo os dados registrados nela: 30 de março de 2008, 10:48 am. Auto-Posto Fedatto, próximo a praça de pedágio de São Luis do Purunã.
JOPZ
[28/03/2011 13:41h]
O recanto dos papagios é um clássico. Estive lá nesse findi e esticamos o pedal até a cachoeira do panelão (também rio dos papagaios), outro lugar SHOW. http://b1brasil.blogspot.com/2011/03/bike-recanto-dos-papagaios-e-cachoeira.html JOPZ
Caro leitor, sinta-se livre para comentar sobre esta expedição! Embora o O² não se responsabilize pelo conteúdo dos comentários (vide nossa política de uso), perceba que aqueles julgados inadequados serão enviados ao limbo eterno. Sem volta. Nem pedalando.

o² expedição · cicloturismo | 2003 · 2014 | curitiba · brasil | permitida reprodução desde que citada explicitamente a fonte: odois.org | política de uso | webdesign por lulis

firefox chrome opera ie 8+ CC-BY-4.0