dia 3

O² Expedição

x1
Saída20/01/2008 09:00hIlha das Peças - Camping Parati Selvagem
Chegada20/01/2008 19:00hCuritiba - Tarumã
CustoR$ 15.00Composdu lulis thiago
Pedalada91.7 km5h 30'16.7 km/h
ItinerárioIlha das Peças - Travessia de Barco - Paranaguá - BR277 - Curitiba

Telégrafo e Superagüi · dia 4

Durante a noite choveu (imprevisível) e acordamos ilhados na ilha das peças (alguma novidade até aqui?). Despedidas a parte, o tempo já começou fechado (ao contrário dos outros dias) e seguimos para o trapiche, o destino seria novamente Paranaguá. Mais uma travessia, dessa vez mais curta que a primeira - e mais calma também.

Nota para cicloturistas em travessia: Sempre que for fazer uma negociação para travessias, não questione o valor cobrado pela bicicleta. Pelo menos não no primeiro momento. Como as pessoas levam muitas coisas entre essas ilhas, eles não costumam cobrar, a não ser que você, bem “turistão”, pergunte o preço da travessia para a bicicleta. Daí sim, eles cobram :|

Devidamente desembarcados em Paranaguá, só faltava mas uma “esticadinha” até Curitiba, consideravelmente perto e fácil se comparado ao restante da viagem. Antes de mais tudo, calibrar os pneus para o asfalto, afinal, não precisa ficar murcho igual nas estradas de terra.

Eis que o calibrador do posto se revolta contra o uso ciclístico e resolve dar um golpe no pneu do Dú. Por azar, era o thiago que estava enchendo. O equipamento deu “uma bombadona” que superou a pressão máxima permitida, ocasionando um POUUUUUUU (não dos teletubbies, uma onomatopéia de estouro mesmo).

Nota analítica: Estouro de pneu na verdade é estouro de câmara. É só pegar uma reserva e substituir. Ok, deixa eu ver aqui... Aro? O que? Arrebentou o aro? Isso mesmo. Agora sim, estamos na merda.

Domingo, cidade de Paranaguá, um aro amassado (amassado? arregaçado!), uma câmara estourada. Nessa hora só gambiarra resolve. Com a ajuda de um borracheiro desamassamos o aro, passamos uma fita crepe para as hachuras do alicate não rasgarem a nova câmara, enchemos o suficiente (pouco mesmo) para o pneu rodar e.. GO HOME! E não é que deu certo?!

Nota paradoxal: Ironia pensar que precisávamos de uma bicicletaria logo depois de ter chegado da própria ilha das peças...

Foto²s

Foto² 160
vamos montar todas as tralhas para seguir, finalmente, para casa

Foto² 161
a ligação da luz tá bem segura, é um sistema meio hidráulico

Foto² 162
eu gostei da ilha mas... posso ir com vocês? por favor!

Foto² 163
é isso meninas, cuidado com a chuva, nada de sair escorregando

Foto² 164
hum.. o que será essa sombra no aro, coisa boa que não é

Foto² 165
aro rachado + fita crepe + pneu murcho = solução

Reinaldo
[28/06/2010 21:10h]
Pessoal do O2, tenho acompanhado intensamente as suas aventuras e curto muito. Estou planejando o passeio Cananeia/Ariri para o final de Julho. Espero me divertir tanto quanto vocês. Abs.
o² expedição
[29/06/2010 10:08h]
Esperamos que você se divirta muito mais que nós, porque choveu pra caramba nessa viagem. Aproveite, a região e a hospitalidade são muito boas!
Renato Cesar Chupil
[11/01/2011 20:33h]
Prezados aventureiros, magnifico relato de viagem. Pretendo, com um grupo de amigos fazer a Triha do Telégrafo a pé. Necessito da opinião de vocês, é possível. Obviamente teremos de levar uma barraca para o trecho mais selvagem, correto? Abraços a todos Renato.
o² expedição
[11/01/2011 21:01h]
Renato, valeu pelo comentário! O trecho da trilha mesmo é curto (8km), não é necessário acampar na metade do caminho. O problema está em chegar nos extremos da trilha (dê uma analisada no mapa e nas outras Georreferências). O ideal seria percorrê-la e voltar por ela, se for de carro até um dos extremos...
Guilherme
[07/09/2011 15:55h]
Senhores, Gostaria de fazer a trilha de moto. Estou pensando em descer as motos antes de entrar na PR405 por Antonina. Dali do trevo que entra para a PR405 até Guaraqueçaba é uma pernada né? Depois de Guaraq. até Ariri será outra, correto? Consigo ir num dia e voltar no outro?
o² expedição
[07/09/2011 21:01h]
Difícil responder, depende da moto. Se for uma pra terra dá tranquilo pra fazer em dois dias. Talvez só fique chato ir e voltar pela trilha. Essa pernada aí que você perguntou dá 93km. Escolhendo uma época sem muita chuva, tá garantido!
Guilherme
[08/09/2011 08:40h]
Estes 93km´s que você me passou são as duas pernadas (do asfalto a Guaraqueçaba e de Guaraqueçaba a Ariri)?. Obrigado.
o² expedição
[08/09/2011 12:01h]
Do inicio da PR405 até Guaraqueçaba. Essa e todas outras medidas você consegue baixando os arquivos logo acima do mapa, ou pelo Google Maps, assim pode se programar melhor.
Alberto H. Molinari
[21/09/2012 12:57h]
Senhores que aventura fantástica! E o relato é outra belezura: excelentes escrita, documentação e bom humor. Parabéns pelo espírito aventureiro e pela aspiração em dividir todas estas informações. Assim fica fácil replicar este roteiro (o que pretendo fazer com os meus filhos).
o² expedição
[21/09/2012 20:33h]
Valeu, Alberto! Obrigado pelos elogios, pelo incentivo, pela paciência (sem comentários!) e por entender a proposta e fazer o melhor uso que se pode fazer do nosso site! =) Certeza de que você e seus filhos(que legal!) não vão se arrepender do roteiro suuuuper(agui)! Abraços!
agnes
[29/01/2016 09:21h]
bom dia, gostaria de saber mais sobre o camping parati selvagem,e a hospitalidade dos proprietarios, visto que foi tecido um comentario interessante relativo ao jantar...Estou querendo ir para la neste carnaval e peguei esta referencia de telefone do satiro em seus relatos grata!
o² expedição
[30/01/2016 12:14h]
Olá Agnes! Já faz algum tempo (em 2008) que nós passamos por lá. Na ocasião o Satiro nos recebeu muito bem e nos convidou para uma "Sirizada". Mãs, como já faz tanto tempo, pode ser que muita coisa já tenha mudado por lá. Se for, nos dê um feedback por e-mail!
Caro leitor, sinta-se livre para comentar sobre esta expedição! Embora o O² não se responsabilize pelo conteúdo dos comentários (vide nossa política de uso), perceba que aqueles julgados inadequados serão enviados ao limbo eterno. Sem volta. Nem pedalando.

o² expedição · cicloturismo | 2003 · 2017 | curitiba · brasil | permitida reprodução desde que citada explicitamente a fonte: odois.org | política de uso | webdesign por lulis

firefox chrome opera ie 8+ CC-BY-4.0