dia 3dia 1

O² Expedição

A Trilha do Telégrafo

LAMA!! Lama!! Tá bom, já deu para entender na história. A trilha tem esse nome porque antigamente passava a linha do telégrafo pelo lugar - que ainda pode ser visto em alguns trechos. Saindo de Guaraqueçaba, são 8km pela PR405 até chegar em um cruzamento que dá acesso à estrada de Batuva. Mais 15km e chega-se até o início da trilha na própria localidade. A trilha em si compreende cerca de 6km. É muito conhecida na região pelos “desafios de moto-cross”. É bicicletável em alguns trechos, mas praticamente empurrável na maioria deles. O lugar é sem dúvida muito bonito e inóspito. A divisa de PR com SP é marcada pela placa de entrada do Parque Estadual de Jacupiranga.

A trilha acaba em uma escola, onde já existe acesso para carros. Mais 7km e está a Estrada Cananéia – Ariri. Seguindo ao primeiro destino é possível seguir por São Paulo até chegar nas grandes rodovias, como a br116, de volta a Curitiba. No sentido Ariri, chega-se à uma pequena cidade portuária (Ariri, por acaso no fim da linha), conhecida como destino dos praticantes de pesca por lazer.

Área de Serviço:

Pousada Caiçara - Ariri - SP. Pousada, passeios de barco e travessias. Cláudio (13)3852-1107.

x0
Saída18/01/2008 09:00hGuaraqueçaba - Pousada Ferreira
Chegada18/01/2008 19:00hAriri - Pousada Caiçara
CustoR$ 15.00Composdu lulis thiago
Pedalada73.7 km5h 40'13.0 km/h
ItinerárioGuaraqueçaba - PR405 - RMs - Batuva - Trilha do Telégrafo - SP101 - RMs - Ariri

Telégrafo e Superagüi · dia 2

No café-da-manhã o Sr. Ferreira nos contou que no final de semana anterior havia ocorrido o pior temporal em cerca de 2 décadas, devastando toda a região. Nessa hora não sabíamos se era melhor ficar felizes ou tristes. Felizes porque já tinha passado, mas tristes porque enfrentaríamos o resultado de tudo isso. Tá, é claro que ficamos tristes pelo povo humilde de lá, que já faz milagre para sobreviver e nessas horas ainda perde o pouco que tem. Mas aposto que naquela altura eles também estavam felizes porque o pior já tinha passado!

Na estrada de Guaraqueçaba já deu para notar: muitas pedras. Muito mais pedras do que estrada em si, fator crítico para cicloturistas. Um pouco para frente da cidade um desmoronamento “recém ajustado”.

Logo começava o trecho que seria totalmente desconhecido. Em um cruzamento seguimos sentido norte, para a localidade de Batuva. Nessa hora nos lembramos das caminhadas em rios. Sabe aquele rio bem raso que tem pedras no fundo, mais arredondadas (até porque são pedras de rio), estilo Nhundiaquara (para quem conhece Morretes). Então, imagine aquilo sem água e sendo chamado de estrada: É o acesso de Guaraqueçaba para Batuva.

Nota das novas regras do Português: Estávamos discutindo sobre a presença da trema no nome Superagüi, mas nessa hora, depois de pedalar a estrada acima referida, tivemos certeza que Batuva tem trema, trema pra caramba, vai lá pra ver se não trema! Trema tudo!

O sol animou a pedalada pelo meio da Serra do Mar. Na localidade, paramos para não cozinhar no sol (nunca tá bom, né, nunca tá bom). Coletamos a informação preciosa de que o “acesso rústico” para São Paulo era a próxima carreirinha à direita.

Nota onomatopéica: hahaha. Hahahehh. Haha.. carreirinha... hahhaha caminho para são paulo... ahahah carreirinha.. hehe... carreirinha?

A partir daquele momento começava:

A temida, molhada, enlameada, medicinal… Trilha do Telégrafo

Tire as crianças da frente do computador porque vai voar barro! Mas o que pode ser tão ruim numa trilha se, afinal, já pedalamos tanto por esses lugares? Pode ser ruim porque havia uma semana que o mundo tinha caído na região - e não sobrou árvore sobre pedra. Na medida em que o tempo passava ficava mais difícil acreditar que estávamos no caminho certo. Só mesmo o GPS pra dizer: o vetor é esse, vai lá gurizada! Lama quente até o joelho é um saco (mas dizem que é medicinal).

Para não dizer que não fizemos o melhor possível, conseguimos errar um trecho. Em função das chuvas, uma ponte caiu no meio do caminho. Bem, "caiu" é jeito de falar: a chuva levantou a ponte e a levou para adiante, então na verdade subiu... A população local já havia criado um desvio, mas não percebemos. Foi “a operação passar bicicletas”. Um pouco mais à frente surge o que um dia deveria ter sido um trecho “calçado”. Um amontoado de toras que, em função da chuva, já estavam totalmente deslocadas. Tudo isso culminou em uma escolhinha (ao menos!) e, logo, estávamos na estrada que liga Cananéia à localidade de Ariri, em São Paulo.

Pelo menos vivos e enlameados, mas não molhados! Ah, que equívoco. Foi só pensar assim para que pegássemos o nosso primeiro grande temporal antes de terminar este dia em Ariri. Mais uma vez, hospedagem em pousada valeu mais a pena que qualquer camping. Sobrou tempo para negociar a nosso traslado para a ilha de Superagüi (traslado de toc-toc trema também!), no dia seguinte.

Foto²s

Foto² 19
pousada ferreira apresenta: pousada ferreira apresenta

Foto² 20
a clientela é sempre a mesma, vemos pelos veículos estacionados

Foto² 21
era para os dois fazerem pose, valeu seu ferreira

Foto² 22
a parte boa, ou seja, asfaltada, desse dia da viagem

Foto² 23
que solzão hein, dia maravilhoso para pedalar

Foto² 24
o que é vocês estão olhando de bom que eu não vi?

Foto² 25
desmoronamento em estrada de terra é recapagem

Foto² 26
as obras de recapagem foram longe pelo jeito

Foto² 27
a essa hora a sombra já estava melhor que o solzão

Foto² 28
e agora, onde será que acaba esse asfalto?

Foto² 29
mais umas para o grupo de montanhas anominadas

Foto² 30
essa foto não parece...? não, não parece com nada não

Foto² 31
ah, ela parece com essa outro foto, isso sim

Foto² 32
o mininu, cuidado com o buraco aí na frente!

Foto² 33
ah, essa é a estrada que tem trema, bota trema nisso

Foto² 34
bota a bota e vai a pé, porque tá difícil pedalar aqui

Foto² 35
ah, era isso que o lulis tava tentando fazer na foto anterior

Foto² 36
não construir um cruzamento, descobrir o caminho!

Foto² 37
à essa hora a caixa tava solta: a caixa toráxica

Foto² 38
mais um pouco estão os dois no chão, cansou?

Foto² 39
falando sério, parece uma estrada mesmo?

Foto² 40
bom, olhando por esse ângulo, hum, também não

Foto² 41
jaimeeee, a criançada tá com sede....

Foto² 42
meio de transporte mais recomendando na região

Foto² 43
bom, ISSO é o início do acesso à são paulo

Foto² 44
familiarizando por outro ângulo...

Foto² 45
ah, tá melhorando, daqui a pouco vira uma rodovia

Foto² 46
hum, dú, é por aqui mesmo? sério, tá estranho!

Foto² 47
dú declara: put.. cagad... é por aqui mesmo pessoal!

Foto² 48
ah, pelo menos tem subida e descida pra quebrar a monotonia

Foto² 49
nao é que o tal tripé da foto 11 existe mesmo?

Foto² 50
vejamos pelo lado bom, pelo menos só faltam 5km!

Foto² 51
se esse é o lado bom.. - dú, tem lado melhor?

Foto² 52
se você também foi por aí provavelmente não...

Foto² 53
já fizemos alguma piada com menino da porteira?

Foto² 54
agora dá pra dizer que tem um lado bom, qual seria?

Foto² 55
o lugar não é só marrom não, é verde também!

Foto² 56
thi, desculpa por te trazer aqui, eu juro que não sabia

Foto² 57
ah, tá tudo tranquilo, isso é refresco, jaimeeeee

Foto² 58
isso não é refresco, são os bolinhos que acompanham

Foto² 59
medidor de profundidade de lama, resultado: joelho

Foto² 60
agora vamos medir a profundidade do rio então

Foto² 61
estou profundamente cansado depois dessas medições

Foto² 62
me parece que o solzão passou por solzinho e agora sumiu

Foto² 63
acredite, o lado melhor é o lado de dentro, da lama

Foto² 64
dú, você tá tirando barro do joelho???

Foto² 65
ahaha, essa foi boa mesmo, barro do joelho, ãh? ãh?

Foto² 66
calma, é só se apoiar no chão, bem lá embaixo...

Foto² 67
ah, o trecho calçado, finalmente, achei que não ia chegar

Foto² 68
acho que a chuva levou a calçada também...

Foto² 69
aha! ê são paulo, que estado lamento esse

Foto² 70
ah diferença estre os 2 é que o da esquerda é mais limpo

Foto² 71
oh, um estrada, de verdade.. oh oh olha a chuva pessoal

Foto² 72
nada a ver, o solzão tá bombando

Foto² 73
tem chovido aqui, não tem? isso é rasinho perto do telégrafo

Foto² 74
essa nuvem não é do photoshop, o que quer dizer...

Foto² 75
quer dizer que tá na hora de lavar as bicicletas

Foto² 76
até a máquina ficou com o olho molhado depois dessa

Foto² 77
deixa eu jogar tetris um pouco, por favor

Foto² 78
eu jogo tetris muito melhor que você, me dá isso aqui

Foto² 79
uhu, chegando em Ariri pela rodovia principal

Foto² 80
que miguxo esse calçamento, a cidade toda é assim

Foto² 81
quis dizer as 4 quadras que a cidade têm

· essa expedição não acabou ·

Terminou a viagem por hoje?
Não deixe amanhã de lado: dia 3

Reinaldo
[28/06/2010 21:10h]
Pessoal do O2, tenho acompanhado intensamente as suas aventuras e curto muito. Estou planejando o passeio Cananeia/Ariri para o final de Julho. Espero me divertir tanto quanto vocês. Abs.
o² expedição
[29/06/2010 10:08h]
Esperamos que você se divirta muito mais que nós, porque choveu pra caramba nessa viagem. Aproveite, a região e a hospitalidade são muito boas!
Renato Cesar Chupil
[11/01/2011 20:33h]
Prezados aventureiros, magnifico relato de viagem. Pretendo, com um grupo de amigos fazer a Triha do Telégrafo a pé. Necessito da opinião de vocês, é possível. Obviamente teremos de levar uma barraca para o trecho mais selvagem, correto? Abraços a todos Renato.
o² expedição
[11/01/2011 21:01h]
Renato, valeu pelo comentário! O trecho da trilha mesmo é curto (8km), não é necessário acampar na metade do caminho. O problema está em chegar nos extremos da trilha (dê uma analisada no mapa e nas outras Georreferências). O ideal seria percorrê-la e voltar por ela, se for de carro até um dos extremos...
Guilherme
[07/09/2011 15:55h]
Senhores, Gostaria de fazer a trilha de moto. Estou pensando em descer as motos antes de entrar na PR405 por Antonina. Dali do trevo que entra para a PR405 até Guaraqueçaba é uma pernada né? Depois de Guaraq. até Ariri será outra, correto? Consigo ir num dia e voltar no outro?
o² expedição
[07/09/2011 21:01h]
Difícil responder, depende da moto. Se for uma pra terra dá tranquilo pra fazer em dois dias. Talvez só fique chato ir e voltar pela trilha. Essa pernada aí que você perguntou dá 93km. Escolhendo uma época sem muita chuva, tá garantido!
Guilherme
[08/09/2011 08:40h]
Estes 93km´s que você me passou são as duas pernadas (do asfalto a Guaraqueçaba e de Guaraqueçaba a Ariri)?. Obrigado.
o² expedição
[08/09/2011 12:01h]
Do inicio da PR405 até Guaraqueçaba. Essa e todas outras medidas você consegue baixando os arquivos logo acima do mapa, ou pelo Google Maps, assim pode se programar melhor.
Alberto H. Molinari
[21/09/2012 12:57h]
Senhores que aventura fantástica! E o relato é outra belezura: excelentes escrita, documentação e bom humor. Parabéns pelo espírito aventureiro e pela aspiração em dividir todas estas informações. Assim fica fácil replicar este roteiro (o que pretendo fazer com os meus filhos).
o² expedição
[21/09/2012 20:33h]
Valeu, Alberto! Obrigado pelos elogios, pelo incentivo, pela paciência (sem comentários!) e por entender a proposta e fazer o melhor uso que se pode fazer do nosso site! =) Certeza de que você e seus filhos(que legal!) não vão se arrepender do roteiro suuuuper(agui)! Abraços!
agnes
[29/01/2016 09:21h]
bom dia, gostaria de saber mais sobre o camping parati selvagem,e a hospitalidade dos proprietarios, visto que foi tecido um comentario interessante relativo ao jantar...Estou querendo ir para la neste carnaval e peguei esta referencia de telefone do satiro em seus relatos grata!
o² expedição
[30/01/2016 12:14h]
Olá Agnes! Já faz algum tempo (em 2008) que nós passamos por lá. Na ocasião o Satiro nos recebeu muito bem e nos convidou para uma "Sirizada". Mãs, como já faz tanto tempo, pode ser que muita coisa já tenha mudado por lá. Se for, nos dê um feedback por e-mail!
Caro leitor, sinta-se livre para comentar sobre esta expedição! Embora o O² não se responsabilize pelo conteúdo dos comentários (vide nossa política de uso), perceba que aqueles julgados inadequados serão enviados ao limbo eterno. Sem volta. Nem pedalando.

o² expedição · cicloturismo | 2003 · 2017 | curitiba · brasil | permitida reprodução desde que citada explicitamente a fonte: odois.org | política de uso | webdesign por lulis

firefox chrome opera ie 8+ CC-BY-4.0