O² Expedição

A Serra dos Capados

A Serra dos Capados - e a adjacente Serra dos Veados - tem como destaques suas formações rochosas, seu revelo acidentado e seus mirantes naturais. Estas características tornam o local perfeito para a pratica do cicloturismo e do trekking, embora a região também seja muito freqüentada pelos praticantes do vôo livre. Nas proximidades encontram-se o Clube dos Planadores, a Fazenda Thalia e a Trilha dos Mineiros.

Mais informações no guia Caminhos de Balsa Nova, parceria da Prefeitura de Balsa Nova com a Mineradora Itambé.

Orações Alfanuméricas de Elevada Ordem e Grau de Parentesco

Os aspectos interdisciplinares do cálculo aplicado abrangem desde as bases da física quântica (pormaisque ninguém saiba o quântico) até as análises de padrões complexos de caracteres indo-arábicos e voltando-latinos dispostos em textualizações agravadas cicloturisticamente. Neste último caso, em função da mutiplicidade das composições, utiliza-se a ordenação de orações (normalmente salmos (ou quânticos dos quânticos)) de acordo com sua árvore genealógica (uma vez que se conheça o pai), subdividindo-as por parenteses (todosos eleses!) e calcificando-as (Ca²º) de acordo com sua ordem e grau de parentesco.

Praticar práticas parentescas é praticamente a forma menos apática de aprender a parentescalização (repita isso três vezes com três terços de um tigre triste na boca). O parágrafo anterior, por exemplo, conta com duas orações. A primeira é uma oração ordinária (fajuta mesmo) de primeira ordem e de primeiro grau de parentesco: apenas uma observação entre parenteses próximos (irmãos, talvez). Já a segunda requer mais atenção (e um pouco de paz interior) para notar que se trata de uma oração de quarto grau (tipo pós-graduação), já que são quatro os grupos de parenteses (talvez alguns números primos distantes), e de segunda ordem, pois um deles atinge dois níveis de parentesco entremeados (algo como casar com a irmã do cunhado). Observe-se que, de fato, o uso de fatorial (!) não altera ordem ou grau de parentesco.

x0
Saída15/04/2006 08:00hCuritiba - Tarumã
Chegada15/04/2006 16:30hCuritiba - Tarumã
CustoR$ 0.00Composdu lulis cheps thiago
Pedalada129.8 km6h 37'19.6 km/h
ItinerárioCuritiba - BR277 - Estrada Faz. Thalia - Serra dos Capados - Serra dos Veados - Estrada Balsa Nova - PR510 - BR277 - Curitiba

Serra dos Capados

No intuito de aproveitar o feriado de páscoa, decidimos refazer um passeio tão antigo que nem havíamos registrado no site: Recanto dos Papagaios (na verdade, nesse passeio antigo nem tínhamos atingido o recanto, apenas o rio dos papagaios) (bom, se é pra jogar com a verdade, tenho que confessar: já tinhamos aproveitado o feriado de páscoa no dia anterior, quando montanhamos o Caratuva (mas como fomos de carro, não podemos contar aqui no site (opa, contei!) (bom, tudo bem, está na sessão extraordinários))) (mas agora chega de conversa particular e vamos ao passeio em questão) (bem, na terceira verdade deste parágrafo, tenho que contar outra coisa... nem chegamos até o recanto dos papagaios, outra vez...) (vou tentar começar um outro parágrafo com menos verdades, pra ver se consigo reduzir o grau (e a ordem) de parentesco dessa história (que tal?)).

Muito embora o objetivo inicial fosse chegar até o Recanto dos Papagaios, o mau tempo observado no trajeto até o pedágio de São Luís do Purunã (bem representado na foto 2) nos desencorajou por completo. Não sabíamos se era uma neblina tão densa que parecia garoa ou se era uma garoa tão tímida que parecia neblina, mas o fato é que não havia condições de aproveitar um banho de rio nestas condições. Sendo assim, decidimos seguir até o mapa de turismo rural de Balsa Nova que já haviamos avistado no passeio da Fazenda Thalia.

Em princípio definimos que iríamos em busca da Trilha dos Mineiros. Desafortunadamente, não encontramos nem pista dos mineiros, dos minérios e nem mesmo da trilha. Por certo passamos perto, mas os mineiros deviam estar escundidin, uai. Na busca pela trilha acabamos por curtir as estradas de terra da região, conhecendo uma boa alternativa (embora incorra em um desvio considerável) para descer a serra de São Luís em meio à natureza. Muitos pontos dignos de uma boa parada para ver a paisagem (quando a neblina deixava, claro...).

O retorno se deu sem mais tropeços (alguém havia tropeçado até aqui?), mas o passeio ao recanto ficou pendente. Mesmo assim, ainda está prometido: papagaios, vocês não perdem por esperar!

texto por Du e Lulis.

Expedição publicada em 16/02/2007

Arquivo GPX Arquivo KML Mapa Dinâmico
Caro leitor, tenha cautela ao utilizar as georreferências, você é o único responsável pelo uso que faz das informações disponibilizadas pelo odois.org. Saiba mais.
Georreferências

Foto²s

Foto² 1
o thi não quis brincar de pirâmide porque deixaram a parte mais difícil pra ele

Foto² 2
ciclista desconhecido atrapalhando a visão do motorhome dos trapalhões

Foto² 3
ciclista conhecido avançando corajosamente sobre o território dos capados

Foto² 4
reconhecimento da área e do ciclista inquieto: como assim, capados?

Foto² 5
apreciando a vista. ao longe vê-se a onipresente nenê (neblininha).

Foto² 6
na sede de balsa nova, uma parada no posto (eles têm posto por lá, sim)

Foto² 7
pedalando e pensando, ainda sob influência do chuchu (chu-chuvisco)

Foto² 8
curtindo um pouco mais da pureza do ar do passeio por balsa nova (pura umidade)

Foto² 9
dá pra flagrar um saudosismo no cheps olhando a placa, né? ééé...

Caro leitor, sinta-se livre para comentar sobre esta expedição! Embora o O² não se responsabilize pelo conteúdo dos comentários (vide nossa política de uso), perceba que aqueles julgados inadequados serão enviados ao limbo eterno. Sem volta. Nem pedalando.

o² expedição · cicloturismo | 2003 · 2017 | curitiba · brasil | permitida reprodução desde que citada explicitamente a fonte: odois.org | política de uso | webdesign por lulis

firefox chrome opera ie 8+ CC-BY-4.0