O² Expedição

O Morro da Palha

Localizado em Campo Magro, região metropolitana de Curitiba, o Morro da Palha sobressai-se no turismo rural do município pela constante presença de praticantes de esportes radicais. A região é ponto de encontro de motoristas de toda sorte de veículos off-road, desde bicicletas até motos e jipes, e os praticantes de vôo livre criam no céu um espetáculo à parte, utilizando-se do morro como rampa de decolagem. Trata-se de um dos pontos mais altos da região (altitude aproximada de 1.080m), oferecendo uma vista inesquecível aos que aventuram enfrentar a íngreme estrada que leva ao cume.

Para chegar ao Palha basta sair de Curitiba pela estrada do cerne (extensão da Av. Manoel Ribas) e, chegando ao centro de Campo Magro, seguir as placas indicativas. Saindo da rodovia encontra-se algum asfalto e muito saibro até encontrar o Bar do Paulo, ponto de referência no pé do morro, que dista aproximadamente 4,5km do pico.

x0
Saída08/01/2006 09:20hCuritiba - Tarumã
Chegada08/01/2006 18:20hCuritiba - Tarumã
CustoR$ 2.00Composdu lulis thiago
Pedalada91.7 km5h 25'16.9 km/h
ItinerárioCuritiba - Sta. Felicidade - PR090 - Campo Magro - Estr. Manfron Neto - Morro da Palha - Curitiba

Morro da Palha

Um passeio subestimado! Sim, sim: depois de adiar diversas vezes, procurando alternativas para enriquecer um passeio que aparentemente não prometia muito, decidimos ir ao morro da palha e, acredite, não foi pouco, não foi fraco e não foi nada fácil!

Dias bonitos incitam o espírito desportivo humano. Dias bonitos estimulam alguma glândula que não sei qual é, mas estou certo de que ela produz algum hormônio que alimenta desejo de contato com a natureza - deve ser naturamina ou, no nosso caso, pedalamina. Dias bonitos são quentes, isso é ótimo, mas convenhamos: tudo tem limites... Superando os nossos limites físicos, os limites municipais de Curitiba e, mais adiante, os limites verticas de Campo Magro, fizemos um passeio de derreter cicloturista...

Saindo da capital pelo escape noroeste, enveredamo-nos por algumas das estradas rurais do município vizinho, ramificações da estrada do cerne. Não tivemos problema em encontrar o caminho para o morro, a eficiente sinalização por placas e mapas torna fácil a localização dos pontos de interesse turístico da região. Depois de pedalar muito por estradas de terra, variamos um pouco: empurramos a bicicleta por estradas de terra (subidas imbicicletáveis sucediam-se, impiedosas!). Atingimos o alto do morro da palha perto do meio-dia e, enquanto o sol caliente nos permitiu suportar, apreciamos a maravilhosa vista propiciada por um dos pontos mais altos da região. Bendita a arte da fotografia, que nos serve em momentos em que nos faltam as palavras...

Iniciamos a retomada animados, pois agora a acentuada inclinação do morro da palha trabalhava a nosso favor. Mas como tudo que é bom dura pouco, o retorno ainda reservava muitas subidas pela estrada... Mesmo exaustos, ainda tivemos fôlego para visitar as cachoeiras gêmeas: duas pequenas quedas d'água paralelas, uma configuração natural curiosa alcançada através de uma trilha que torna-se progressivamente mais estreita e úmida...

Tomamos o rumo de casa, definitivamente esgotados pelo calor intenso. O tempo passava-se lento durante a subida dos infindáveis morros, sugerindo a reflexão... Definitivamente, nunca subestime uma aventura cicloturística: a natureza pode te surpreender com paisagens obcenamente belas e ainda zombar do teu suado esforço dentro do mesmo metro quadrado...

texto por Du e Lulis.

Expedição publicada em 01/02/2006

Arquivo GPX Arquivo KML Mapa Dinâmico
Caro leitor, tenha cautela ao utilizar as georreferências, você é o único responsável pelo uso que faz das informações disponibilizadas pelo odois.org. Saiba mais.
Georreferências

Foto²s

Foto² 1
recém vencida a 1a subida de terra: uma amostra do que viria...

Foto² 2
então comecemos: a subida impedalável do morro da palha

Foto² 3
du e thi, lá na frente! arre! me dê licença, tô atrasado...

Foto² 4
agora que começou vc vai até o fim, bicicleta, nem q seja arrastada!

Foto² 5
o topo do morro da palha, donde a bela vista já se anuncia

Foto² 6
aah! chegamos! não tem sombra! me dá um abraço, nuvem fofa!

Foto² 7
panorâmica 360º espetacular: veja todos os campos, magros ou não!

Foto² 8
as montanhas que confundimos com o palha na viagem de ponta grossa...

Foto² 9
o2 voltando da expedição a uma possível descida impossível...

Foto² 10
ué? já vão? era só fogo de palha, então?

Foto² 11
o macaquinho coletou magras amostras de terra desse campo

Foto² 12
o sheik al du arden, torrando

Foto² 13
já que a sombra não vem à montanha, nós nos vamos!

Foto² 14
é, é difícil deixar isso aqui... sofri tanto pra chegar!

Foto² 15
praticamente um centauro, tamanha a integração com a bike e a paisagem

Foto² 16
um pequeno recanto com um pequeno regato e um pequeno ragazzo

Foto² 17
a fischer, er, ops, digo, a nova bike do du, em solo árido

Foto² 18
o morro da palha, de baixo, agora com sombra - acredita?

Foto² 19
a pretinha do lulis, se recusando a nadar

Foto² 20
a pretinha do lulis, se recusando a nadar. opa, não, não, comentário errado!

Foto² 21
uma das cachoeiras gêmeas

Foto² 22
outra gêmea. por mais q não sejam idênticas, devem ter nascido juntas...

Foto² 23
e a mãe natureza, assanhada, sempre fazendo pose pra foto

Foto² 24
uma pequena amostra do que foi chegar às cachoeiras

Foto² 25
o contraste da terra enxarcada na mata cerrada...

Foto² 26
...com o árido saibro exposto ao sol quente

Foto² 27
uma anciã imponente respeitada pelo traçado da estrada

Foto² 28
o thiago é o mais integrado, apinhando acessórios naturais

Foto² 29
como chamaram isso de campo magro tendo tanto morro rechunchudo?

Foto² 30
enfim, de volta ao cerne - cozinhando sim, mas satisfeitos

samuel
[24/11/2009 14:22h]
Muito louca essa aventura de vcs!! sabe poderia me mandar por email a rota e o mapa. tbm sou aventurista assim. fico grato vlw..
o² expedição
[24/11/2009 20:56h]
Samuel, samuel... prestenção, rapaz! =) Dê uma olhada ali em cima, nas georreferências: é possível ver o mapa/track do passeio no google maps ou baixar para abrir no google earth ou programas afins (como o gps trackmaker)! Pegou o caminho agora? =)
Sandra Elize
[08/04/2011 14:45h]
Amei o texto, e as fotos então... no words to say.
alex
[18/06/2015 17:08h]
o traçado no mapa não é o mesmo q vcs fizeram, de acordo com as fotos....
o² expedição
[06/07/2015 15:16h]
Fala, Alex! Ops, tens razão: o acesso às cachoeiras gêmeas ficou de fora. Falha nossa da era pré-gps =) Valeu pelo toque! De toda forma, o acesso a elas você encontra aqui: http://odois.org/?060401 Abraços!!
Caro leitor, sinta-se livre para comentar sobre esta expedição! Embora o O² não se responsabilize pelo conteúdo dos comentários (vide nossa política de uso), perceba que aqueles julgados inadequados serão enviados ao limbo eterno. Sem volta. Nem pedalando.

o² expedição · cicloturismo | 2003 · 2016 | curitiba · brasil | permitida reprodução desde que citada explicitamente a fonte: odois.org | política de uso | webdesign por lulis

firefox chrome opera ie 8+ CC-BY-4.0