O² Expedição

A Serra Dona Francisca

A Serra Dona Francisca, localizada na região dos mananciais dos rios Cubatão e Piraí, foi decretada Área de Proteção Ambiental (APA) pelo município de Joinville em meados de 1997. Detentora de imensa biodiversidade, belezas naturais e paisagens absorventes, a APA é cortada por uma estrada que lembra, em muitos trechos, a serra da graciosa e a do rio do rastro: muitas curvas fechadas, em ângulos por vezes além dos 180°, completando o desnível de aproximadamente 600m em 11km de extensão. A rodovia, outrora considerada perigosa em função da má qualidade do asfalto, passou por um projeto de reformulação e reconstrução concluso em 2002. As obras incorporaram, além de recapeamento e medidas estruturais, providências para o incentivo à visitação turística, como mirantes e trilhas para cachoeiras.

Lei da Supremacia Errática Marginal

"Absolutamente TODO cálculo de distância está sujeito a erro e, reincidentemente, TODA margem de erro aplicada em correção de cálculos de distância sujeitará o resultado a erro e assim por diante, por mais que não adiante, indefinidamente."

A lei representa a impossibilidade de estimarem-se percursos com precisão, uma vez que qualquer total corrigido pelo acréscimo de margem de erro deverá ser novamente, ao final, acrescido por uma margem de erro. Dado isso, recomenda-se a não utilização de fatores de correção para não alongar ainda mais os trajetos pretendidos.

x1
Saída23/12/2005 05:40hCuritiba - Tarumã
Chegada23/12/2005 22:20hPontal do Paraná - Ipanema
CustoR$ 1.00Composdu lulis
Pedalada243.7 km12h 04'20.2 km/h
ItinerárioCuritiba - BR116 - PR419 - Agudos do Sul - Bateias de Baixo - SC301- Serra Dona Francisca - Pirabeiraba - BR101 - Garuva - PR412 - Guaratuba - Ipanema

Serra Dona Francisca

Optamos por um trajeto reduzido: pulamos São Bento do Sul, já visitado na viagem à Corupá, e privilegiamos um atalho de saibro (nem bem conhecido, nem bem registrado), passando por Bateias de Baixo. Com os cálculos em mãos avaliamos: uns 180km, com margem de erro deve render pelo menos 200km... Ilusão: depois da aventura descobrimos e comprovamos a lei da supremacia errática marginal...

Depois do trajeto tranquilo até Agudos do Sul, muitas perguntas levaram-nos aos infindáveis e inevitáveis sobe-e-desce propiciados pelo "atalho" tomado. Parece que todo atalho é um trajeto mais curto, mas nunca é um caminho mais fácil...

Atingida a SC301 - enfim! - ainda nos restava um bom trecho até o início da serra almejada. Exploramos com sedenta euforia uma bica na beira da estrada, ajudados por outros dois ciclistas que encontramos desidratando por lá. Depois de alguns sobe-e-desce (parece que em Santa Catarina não se respeita muito a conotação física do pleonasmo "descer para baixo") alcançamos afoitos a tão esperada serra!

Embasbacados com a depressão absurda do vale e com as inúmeras curvas - aparentemente dispersas em todos os lados, ângulos, vértices e faces possíveis - iniciamos a descida da Serra Dona Francisca. Salvo paradas no mirante e na cachoeira, a atenção se dividia entre observar a rara beleza da serra e segurar a bicicleta nas velozes curvas acentuadas.

Finda a serra, tão breve quanto íngreme, uma olhada para trás mostrava a grandiosidade do degrau que separa a planície litorânea do primeiro planalto... Despedimo-nos: longos caminhos planos nos aguardavam. Brindados com as clássicas e exageradas chuvas torrenciais de verão, nosso dia encerra-se com as dores dos excessos (de exercício, de água com vento, de frio) e a alegria das faltas (falta de noção, falta só mais um pouquinho... =)

texto por Du e Lulis.

Expedição publicada em 30/12/2005

Arquivo GPX Arquivo KML Mapa Dinâmico
Caro leitor, tenha cautela ao utilizar as georreferências, você é o único responsável pelo uso que faz das informações disponibilizadas pelo odois.org. Saiba mais.
Georreferências

Foto²s

Foto² 1
quem cedo madruga tem mais tempo (e chance) de apreciar maravilhas

Foto² 2
e o sol anuncia um lindo dia: sou eu bola de fogo...

Foto² 3
prestes a submergir na neblina mas protegidos pelo asfalto impecável

Foto² 4
o du, no pátio, com os companheiros de carga

Foto² 5
as carretas do o2 - quase tão gêmeas quanto os donos

Foto² 6
sub-indo pra pien, ops, desculpa du, pra agudos do sul

Foto² 7
sa-indo de agudos, não pien. olha a camiseta nova!

Foto² 8
árvore solitária fotogênica panodefúndica

Foto² 9
estrada super fofa e super subida - atalhos são assim...

Foto² 10
curtindo a busca de bateias - com acumulus nimbulosos!

Foto² 11
muitas paradas: o atalho é curto, mas não é fácil

Foto² 12
a rodovia, sc301 enfim! a serra deve estar perto!

Foto² 13
belas curvas, mas ainda não são da dona francisca

Foto² 14
e a serra se anuncia - será a dona xica? dimirou-se-se?

Foto² 15
ahá! aêêê... demorou mas vá: viva a dona francisca!

Foto² 16
uma pequena amostra da violência do vale

Foto² 17
curvorâmica, mais de 180º - e com contracurva no final

Foto² 18
mirantorâmica: estrada pra todo lado, e todo lado pra baixo!

Foto² 19
o lulis, as bikes, o mirante e a serra valente

Foto² 20
cachoeira com mirante na beira da estrada: pausaaa

Foto² 21
olhando a serra iluminada que deixamos pra trás

Foto² 22
formações abruptas, características da região

Foto² 23
a logo da nova camiseta, muito mais o2 depois da chuva

Foto² 24
uma visão aquosa do mundo ciclistico, depois de muita chuva

Caro leitor, sinta-se livre para comentar sobre esta expedição! Embora o O² não se responsabilize pelo conteúdo dos comentários (vide nossa política de uso), perceba que aqueles julgados inadequados serão enviados ao limbo eterno. Sem volta. Nem pedalando.

o² expedição · cicloturismo | 2003 · 2017 | curitiba · brasil | permitida reprodução desde que citada explicitamente a fonte: odois.org | política de uso | webdesign por lulis

firefox chrome opera ie 8+ CC-BY-4.0