dia 3dia 1

O² Expedição

x2
Saída31/01/2004 10:30hAbapã - Igreja
Chegada31/01/2004 19:30hTibagi - Pouso Municipal
CustoR$ 5.00Composdu lulis bruno cheps
Pedalada112.0 km6h 00'18.7 km/h
ItinerárioAbapã - PR090 - RMs - Castro - PR340 - Tibagi

Guartelá · dia 2

Após uma noite terrivelmente mal dormida (chegamos a cogitar ser a última da viagem), acordamos com muita lama, mas tempo bom e um sol que nos motivou a continuar! Tomamos banho no banheiro do bar/restaurante da cidade, sendo o nosso café da manhã os marmitex que não pudemos buscar na noite anterior devido a chuva.

O caminho até Castro era apenas lavoura, algo que nos tranquilizou, pois o terreno é muito menos acidentado.

A 10km de Castro o pneu do Lulis estourou - até trocamos com nosso kit-remendo mas ao encher percebemos que estava saltando uma bolha no lado do pneu, e concluimos: o pneu estava cortado devido ao peso excessivo (alforjes + barraca + lulis...). Teríamos que fazer um manchão (uma reforço na parte interna do pneu para reter a câmera) mas, o que colocar? Não tínhamos nenhum pedaço de pneu velho para fazê-lo como comumente se faz, então, o Du lembrou de algo que vira na internet: utilizar um cartão telefônico. Pronto! Colocamos a roda felizes até descobrir que o eixo furado estava partido, mas deveria suportar até Castro. Chegando lá rodamos até encontrar uma bicicletaria decente, fizemos o manchão com pneu e trocamos o eixo por um maciço.

Almoçamos no parque (pausa para mais uma chuvinha) e partimos rumo ao Guartelá - o presumido destino final. Chegamos a perder mais 1 hora esperando a chuva (que não veio) sob nosso melhor ensaio de proteção por lona e prosseguimos. Após sofrermos um pouco subindo a escarpa devoniana fomos agraciados com o brando relevo do planalto.

No cair da noite chegamos à entrada e, devido a novas restrições do parque, fomos providenciar um camping nas cercanias. Como estava muito tarde, e nada interessante por perto, após reunião relâmpago sob relâmpagos ameaçadores, decidimos fazer uma sessão "Night Bikers" até Tibagi e procurar uma pensão.

O trecho foi muito divertido devido ao relevo - praticamente apenas descida por 17 km. Chegando lá, após muita conversa, indicaram-nos o "Pouso Municipal" pra tentarmos abrigo. Conversamos com o vigia e conseguimos, além de cama, banho quente e um grande alívio comparado à noite anterior.

Foto²s

Foto² 9
amanhecer em abapã city

Foto² 10
o barracão que nos "protegeu" da chuva

Foto² 11
a tia do restaurante e nós, limpos!

Foto² 12
desvio do cerne, atalho para castro

Foto² 13
sim, acaba a saga da estrada de terra!

Foto² 14
a bicicletaria que salvou a viagem do lulis

Foto² 15
bru alimentando os gansos com seu pão molhado

Foto² 16
a poesia do ciclista entre o céu e a terra

Foto² 17
os morros penteados e o algadon

Foto² 18
vencendo os limites do canyon

Foto² 19
bike posers em asfalto cadente e decadente

Foto² 20
o objetivo atingido - a entrada do parque!

Foto² 21
o vigia camarada barraforter do pouso

Foto² 22
festa no pouso entre paredes de alvenaria

· essa expedição não acabou ·

Terminou a viagem por hoje?
Não deixe amanhã de lado: dia 3

Caro leitor, sinta-se livre para comentar sobre esta expedição! Embora o O² não se responsabilize pelo conteúdo dos comentários (vide nossa política de uso), perceba que aqueles julgados inadequados serão enviados ao limbo eterno. Sem volta. Nem pedalando.

o² expedição · cicloturismo | 2003 · 2017 | curitiba · brasil | permitida reprodução desde que citada explicitamente a fonte: odois.org | política de uso | webdesign por lulis

firefox chrome opera ie 8+ CC-BY-4.0